Blog Merece Destaque Blog Merece Destaque Author
Title: MPF investiga atraso na obra da Barragem de Serro Azul em Pernambuco
Author: Blog Merece Destaque
Rating 5 of 5 Des:
O Ministério Público Federal (MPF) investiga, por meio de inquérito civil, os motivos do suposto atraso das obras na Barragem de Serr...

O Ministério Público Federal (MPF) investiga, por meio de inquérito civil, os motivos do suposto atraso das obras na Barragem de Serro Azul, localizada na Mata Sul de Pernambuco. Segundo portaria publicada no Diário Oficial da instituição, há o risco de “galgamento da barragem”, ou seja, do reservatório transbordar.

"A segurança da Barragem de Serro Azul ainda não pode ser considerada adequada, considerando o atual estágio de construção", assinala a procuradora da república Ana Fabíola de Azevedo Ferreira. Por meio de nota, a assessoria de Comunicação do Secretaria de Desenvolvimento Econômico informou ao G1 que o "inquérito já foi concluído e não existe risco de galgamento".

A nota informou ainda que a conclusão do inquérito sobre o galgamento foi no mês de janeiro. A portaria de instauração do inquérito foi publicada no Diário Oficial do MPF no dia 2 de março. "As obras da Barragem de Serro Azul estão em execução com prazo de conclusão mantido até o final do primeiro semestre de 2016. Não havendo risco de galgamento, pois a parte terrosa da barragem já está superior à cota 186, o que já garante segurança para a população", diz a nota do governo do estado.

Contenção de enchentes - A construção do reservatório faz parte das medidas de contenção anunciadas pelo governo estadual, a exemplo da construção de barragens, para que enchentes como a de 2010 não voltem a ocorrer.

A barragem, que fica no município de Palmares, tem 73 metros de altura e mais de um quilômetro de comprimento. Na área, 907 hectares de terra serão inundados. O lago da represa vai se estender por três municípios: Palmares, Catende e Bonito. Quando estiver pronta, Serro Azul terá capacidade para armazenar 303 milhões de metros cúbicos de água

Os recursos para construção são provenientes dos governos estadual (R$ 300 milhões) e federal (R$ 200 milhões), através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Em contrapartida, o Estado também entrou com mais R$ 200 milhões para fazer obras no entorno, como desapropriações e estudos ambientais.

Informações do G1
Foto: Reprodução TV Blobo

Anuncie Aqui

Postar um comentário

Ao enviar um comentário, aguarde até que nossa equipe o analise e o publique. Isso é necessário para evitarmos que comentários impróprios sejam mostrados. Comentários com agressões, palavrões ou qualquer tipo de ofensas não são aceitos.

Traduzir / Translate

 
Topo