Blog Merece Destaque Blog Merece Destaque Author
Title: Em Pernambuco pacientes sofrem com falta de medicamento para tratamento do câncer de mama
Author: Blog Merece Destaque
Rating 5 of 5 Des:
Pacientes de Pernambuco com câncer de mama metastático (condição em que a doença já atinge outros órgãos, como fígado, pulmões, ossos e...

Pacientes de Pernambuco com câncer de mama metastático (condição em que a doença já atinge outros órgãos, como fígado, pulmões, ossos e cérebro) sofrem com a falta do trastuzumabe – um medicamento de alto custo (R$ 10 mil, em média, é o valor de cada dose no mercado) que mudou a forma como esse tipo de tumor é tratado no mundo e que figura na Lista Modelo de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde (OMS) para combater a doença. Toda a rede pública de atenção em oncologia de Pernambuco está sem oferecer o medicamento.

Apesar de o câncer de mama metastático não ter cura, as pesquisas deram importantes passos para disponibilizar tratamentos modernos, que incluem o trastuzumabe (Herceptin, nome comercial), que permitem aos pacientes viverem com mais qualidade de vida.

No dia 3 de agosto, foi publicado no Diário Oficial da União a decisão do Ministério da Saúde de oferecer, no SUS, o trastuzumabe como tratamento para o câncer de mama HER2 positivo metastático, que tende a crescer e disseminar mais rapidamente do que outros tipos do tumor. É o mais agressivo e que atinge um quinto das mulheres com tumor no seio. A questão é que, a contar de agosto, o SUS só começará a fornecer o medicamento num prazo de 180 dias, o que deve ocorrer no fim de janeiro do próximo ano. Até a data, era para o governo do estado fornecer o medicamento para as pacientes com indicação, mas isso não vem acontecendo.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que “o trastuzumabe deve chegar na próxima semana, pois já foi adquirido pela SES”. A luta das mulheres e das entidades por essa medicação, nos casos de metástase, é intensa porque se trata de uma opção terapêutica que dobra a sobrevida das pacientes.

Estudos publicados nos periódicos científicos Journal of Clinical Oncology (JCO), em 2015, e no Journal of Global Oncology (JGO), em 2016, revelam que a incorporação ao SUS da combinação do trastuzumabe e de outra droga, o pertuzumabe salvaria 768 vidas de mulheres com câncer de mama metastático HER2 positivo no País. Uma previsão feita pelo estudo que está no JGO revela que, do total de 2 mil pacientes diagnosticadas com esse subtipo da doença em 2016, apenas 808 estarão vivas em 2018, se forem tratadas só com quimioterapia (ou seja, sem ambas as medicações). Caso recebam a combinação, o número de sobreviventes subirá para 1.576.

Blog Merece Destaque
Com informações do JC Online
Foto reprodução Internet

Anuncie Aqui

Postar um comentário

Ao enviar um comentário, aguarde até que nossa equipe o analise e o publique. Isso é necessário para evitarmos que comentários impróprios sejam mostrados. Comentários com agressões, palavrões ou qualquer tipo de ofensas não são aceitos.

Traduzir / Translate

 
Topo