Blog Merece Destaque Blog Merece Destaque Author
Title: Santa Cruz do Capibaribe é destaque no Jornal Nacional pela geração de empregos formais
Author: Blog Merece Destaque
Rating 5 of 5 Des:
Fábricas do polo têxtil de Pernambuco voltam a criar vagas formais No auge da crise, quase 2 mil vagas desapareceram no polo têxt...
Fábricas do polo têxtil de Pernambuco voltam a criar vagas formais


No auge da crise, quase 2 mil vagas desapareceram no polo têxtil. Aos poucos, o setor se recupera e parte dos empregos formais também voltou.

Em 2017, a indústria brasileira voltou a dar sinal de vida. Na Região Nordeste, o polo têxtil de Pernambuco voltou a criar empregos com carteira assinada, depois de dois anos de crise.

Desenha, corta, costura: esse é o ritmo em uma fábrica especializada em moda praia em Santa Cruz do Capibaribe, município do polo têxtil de Pernambuco, um dos maiores do Brasil.

Por causa do Natal e do verão, a produção passou de 7 mil para 10 mil peças por mês. Nos últimos anos, mesmo nessa época, a fábrica se virava com o quadro de funcionários que tinha.

“Eu não contratava, porque a demanda não aumentava. Agora, eu já estou percebendo que a demanda está grande, o pessoal está querendo os produtos. Eu já contratei dez pessoas para ficar efetivas”, disse a dona da fábrica, Vera Carvalho.

Uma das vagas ficou com Alessandra, que fazia tempo não conseguia emprego com carteira assinada: “Significa mais uma segurança, porque é uma coisa fixa. É uma coisa que está com aquilo garantido do que no mercado informal”.

Desde setembro, uma outra fábrica tem recebido mais encomendas. Os pedidos dobraram em relação aos outros meses do ano. Aí, para que o cliente não fique na mão, foi preciso criar novas vagas de trabalho.

“A gente teve que contratar por conta da demanda de pedidos, porque, com a quantidade de pessoas que a gente tinha, não ia dar vencimento nessa época”, disse a gerente administrativa Amanda Silva.

Os dados do Ministério do Trabalho mostram que, no auge da crise, quase 2 mil vagas desapareceram no polo têxtil. Aos poucos, o setor se recupera e parte dos empregos formais também voltou.

As mercadorias que saem das fábricas abastecem as lojas e bancos dos comércios populares. Um deles em Santa Cruz do Cabipabibe recebe 120 mil pessoas por semana nessa época. É gente que vem do Brasil todo encher as sacolas. Valmir saiu do Pará. Percorreu quase 2 mil quilômetros.

“Porque lá não tem essas fábricas que tem aqui. Compensa, porque é mais barato”, afirmou o comerciante Valmir Silva.

Essa disposição para gastar faz a alegria dos vendedores. “Graças a Deus o comércio reagiu bem nessa reta final do fim de ano superou a expectativa. Vamos sorrir”, contou o comerciante Marcos Aleixo.

Fonte: Jornal Nacional

Anuncie Aqui

Postar um comentário

Ao enviar um comentário, aguarde até que nossa equipe o analise e o publique. Isso é necessário para evitarmos que comentários impróprios sejam mostrados. Comentários com agressões, palavrões ou qualquer tipo de ofensas não são aceitos.

Traduzir / Translate

 
Topo