UFPE e UFRPE têm 218 bolsas de pós-graduação cortadas pela Capes em dois meses

Somente na UFPE, foram 111 bolsas cortadas nos meses de maio e junho — Foto: Ascom UFPE/Divulgação.

As Universidades Federal (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) tiveram 218 bolsas de pós-graduação cortadas em dois meses. Desse total, 181cancelamentos ocorreram em junho e outros 37, em maio deste ano. Em todo o Brasil, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) cortou 2,7 mil bolsas.

De acordo com a UFPE, a decisão da Capes anunciada em junho provocou o corte de 78 bolsas de pós-graduação. Desde maio, a instituição teve 111 bolsas cortadas, sendo 110 de mestrado e uma de pós-doutorado.

Os atuais bolsistas não devem ser afetados pela medida, segundo a instituição. O número equivale a 7,4% do total de bolsas da universidade.

Na UFRPE, foram cortadas, em junho, 71 bolsas de mestrado e outras 32 bolsas de doutorado. No mês anterior, o corte havia sido de quatro bolsas, sendo duas de mestrado e outras duas de doutorado.

Em nota divulgada pela Capes na noite da quarta (4), a decisão "levou em consideração o baixo rendimento de cursos ao longo dos últimos dez anos".

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o bloqueio deve ser feito "de forma gradual, respeitando critérios de qualidade e eficiência, além da inserção internacional dos pesquisadores e alunos".

Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) fica na Zona Norte do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Outras instituições

No interior do estado, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) informou que não houve cortes de bolsas. No entanto, a previsão da instituição é perder seis benefícios em 2019 e outras 12, em 2020.

No Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), há quatro bolsas da Capes para programa Prodoutoral, para qualificação de professores para o doutorado. Nenhuma delas foi extinta, de acordo com a instituição.

Imagem feita por volta de 16h mostra concentração de estudantes no Recife no dia 30 de maio — Foto: Reprodução/GloboNews

Cortes de verbas

Em maio, o governo federal anunciou cortes de 30% de verbas em universidades de todo o país. Em Pernambuco, as instituições informaram que sofreram impacto com a medida.

A UFRPE e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) apontaram que, somado, o bloqueio no orçamento de 2019 chega a R$ 45,8 milhões.

A UFPE informou que recebeu a notícia de bloqueio de R$ 55,8 milhões. Assim, o corte estimado paras as três principais instituições federais de ensino do estado chega a mais de R$ 101,6 milhões.

No IFPE, o impacto é de mais de R$ 22,2 milhões. A UFRPE, por sua vez, teve R$ 23,6 milhões bloqueados pelo Ministério da Educação (MEC).

Os cortes provocaram reações de reitores das instituições em Pernambuco. Durante encontro com deputados federais, eles entregaram uma carta com dados que mostram o impacto do corte de verbas.

Por causa dos cortes, estudantes e professores realizaram protestos em todo o Brasil. Em Pernambuco, o primeiro ato ocorreu no dia 15 de maio. No dia 30 do mesmo mês, grupos contrários ao contingenciamento de receitas da educação voltaram às ruas.

Fonte: G1
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: