Pernambuco supera todas as metas do Ideb nos ensinos fundamental e médio

Além de ter a escola pública com a maior média do país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), Pernambuco superou todas as projeções para 2011 do índice, divulgado nesta terça-feira (14), pelo Ministério da Educação (MEC), nos ensinos fundamental (primeiro e segundo ciclos) e médio. Em comparação à última avaliação realizada em 2009, o estado também obteve progressos em todos os níveis de ensino.

A nota do Ideb é medida pelo MEC a partir do desempenho do estudante em uma prova aplicada nacionalmente, e em taxas de aprovação, da frequência em sala de aula, além do índice de reprovação da instituição. Para que o Ideb de uma escola ou rede cresça é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente a sala de aula.

Com o crescimento de 0,1 em relação a 2009, os estudantes dos anos finais do ensino fundamental alcançaram 3,5 pontos, em 2011. A meta era de 3,2, de acordo com o MEC. A marca de dois anos atrás foi mais baixa, de 3,4.

Em 2011, os estudantes pernambucanos dos anos iniciais do ensino fundamental - 4ª série (5º ano) – alcançaram 4,3 na nota, superando a projeção do MEC, que era de 4,0. Em 2009, os alunos obtiveram 3,6.

Já os estudantes do ensino médio também aumentaram a projeção em 0,1 ponto, em comparação a 2009. Eles alcançaram 3,4 pontos contra os 3,3 da projeção feita pelo MEC e da nota obtida no último exame (também de 3,3).

"A pontuação melhorou porque a área de educação teve um aprimoramento gerencial no processo pedagógico. O prêmio Gestão Escolar [do Conselho Nacional de Secretários de Educação], por exemplo, estimula as escolas a melhorarem e a participarem da gestão mais ativamente. Ainda há uma carência grande de bibliotecas. Mas as construções e o crescimento das escolas em tempos integrais são fatores que favoreceram para haver este aumento, que, embora seja pequeno, é significativo", afirmou Fernando Gonçalves, presidente do Conselho Estadual de Educação de Pernambuco, órgão normativo, deliberativo e consultivo do sistema de ensino do estado.

Abaixo da média nacional no 9º ano 

Embora as metas tenham sido superadas, os resultados ainda são considerados baixos, se comparados a outros estados e regiões do Brasil. Pernambuco ficou apenas à frente de outros cinco estados nordestinos no ranking nacional do 9º ano do ensino fundamental (que corresponde à antiga 8ª série): Rio Grande do Norte e Paraíba, ambos com 3,4 pontos; Sergipe e Bahia, ambos com 3,3 pontos e Alagoas, que teve a pior colocação do Brasil, com 2,9 pontos entre os estudantes do último ciclo do ensino fundamental. 

No Nordeste, o Maranhão ficou à frente de Pernambuco, com 3,6 pontos, seguido do Piauí (4,0) e Ceará (4,2), cujos estudantes atingiram as melhores pontuações na região.

Ainda nesta comparação, a média da região Nordeste foi igual a de Pernambuco: 3,5, considerada abaixo da nacional, que chegou a 3,7 pontos em 2011.

Pernambuco também ficou abaixo na pontuação de todos os estados da região Norte (que obteve média de 3,8). Rondônia, Pará, Amapá e Roraima alcançaram, empatados, 3,7 pontos; o Amazonas conseguiu 3,8 pontos; o Tocantins, 4,1, e o Acre figurou como o líder da região, com 4,2 pontos, no 9º ano do ensino fundamental daquela região. 

Avanço no 1º ciclo do ensino fundamental
Ainda de acordo com Gonçalves, o processo de investimento começou no ensino básico, por isso que o estado teve uma melhoria no cenário do quinto ano do ensino fundamental, equivalente à antiga quarta série, com uma pontuação de 4,3, ficando em terceiro lugar no Nordeste, empatado com a Paraíba e atrás do Piauí (4,4) e Ceará (4,9).

Esse foi o aumento mais significativo entre os números divulgados pelo Ideb nesta terça-feira, com uma superação de 0,3 da projeção do MEC, e avançando 0,7 com relação a 2009.

"O processo começou no ensino básico. As últimas séries ainda sofrem algumas deficiências no que eu chamo da capacidade de ler, escrever e contar --e isso se reflete no Ideb. Mas acredito que isso vai mudar mais ainda porque o próprio crescimento econômico pelo qual Pernambuco passa faz com que as populações tenham uma ânsia de melhoria sobre a própria educação. Eles [os estudantes] pensam que precisam estudar e crescer, se não não participarão do novo mercado de trabalho. Outro fato benéfico é a ascensão de milhares de famílias que saíram da situação de miséria absoluta e agora têm condições de comprar um livro. Isso também contribuiu fortemente para a melhoria no resultado. Estamos vivendo uma espécie de crescimento positivo e otimista em todos os setores do estado", acrescentou.

Segundo no Nordeste no ensino médio
Com relação às notas do ensino médio obtidas no Ideb, Pernambuco teve uma nota levemente acima da média do Nordeste (3,3), alcançando 3,4 pontos, e ficando em segundo lugar na região, apenas atrás do Ceará, com (3,7).

Neste comparativo, o estado também ficou abaixo da média nacional (3,7).

Do G1 PE
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: