Natureza em Destaque: Gavião Caramujeiro

Gavião caramujeiro registrado em área de Caatinga, no município de Santa Cruz do Capibaribe.
Créditos das fotos: Almir Neves.
O gavião-caramujeiro (Rostrhamus sociabilis) é uma ave accipitriforme da família Accipitridae. Conhecido também como caramujeiro e gavião-de-aruá (Amapá).

Mede entre 39 e 48 centímetros de comprimento. O macho pesa entre 304 e 385 gramas e a fêmea, ligeiramente maior, pesa entre 384 e 413 gramas. Sua envergadura varia entre 99 e 115 centímetros (Bierregaard & Kirwan 2013).


A plumagem do macho é quase uniformemente cinza azulado escuro. O seu uropígio e as penas da base da cauda são brancos. A cauda é quadrada e apresenta a ponta esbranquiçada precedida de um banda larga de coloração quase preta. As pernas são de cor laranja, com longas garras pretas. Seu bico é esbelto, fino e preto, com forte curvatura característica na mandíbula superior. A cera e os cantos do bico são de coloração alaranjada. Seus olhos são vermelhos com um anel ocular amarelo que se estende até a porção loral. Na época da reprodução, a cera, os cantos do bico, o anel ocular e a região loral nua assumem a coloração vermelha.


A plumagem da fêmea é marrom escura, com forte estriado por toda a parte ventral, inclusive sob as asas. A garganta e o peito são levemente mais claros que o ventre. Sua cabeça é ocre com listras escuras. A íris da fêmea é de coloração alaranjada. A pele da região loral, cera e pernas são de coloração amarela, e assumem a coloração laranja no período reprodutivo.
A plumagem dos jovens é parecida com a dos adultos do sexo feminino, mas apresenta o peito mais claro e tem a cera mais larga e clara, além de olhos castanhos. Os jovens somente obtêm a sua plumagem definitiva com 3 ou 4 anos de idade.


Alimenta-se quase exclusivamente de grandes caramujos aquáticos chamados aruás. Utiliza o bico curvo para retirar as partes moles dos caramujos, deixando cair a casca vazia. Captura os aruás executando um voo rasante sobre os pântanos, pegando-os no chão ou na água com apenas um dos pés e empoleirando-se para comer. Ocasionalmente, em algumas regiões, como no Pantanal de Mato Grosso e na Venezuela, alimenta-se também de pequenos caranguejos.

Fotos: Almir Neves / Informações: Wikiaves
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: