Ministério Público denuncia prefeito Edson Vieira por abastecer a própria casa e de familiares com água destinada a prédios públicos

“Edson Vieira utilizou-se de bem com destinação pública para fins particulares, enriquecendo-se, consequentemente, às custas da sociedade Santa-Cruzense” concluir promotor após dois anos de investigação.


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através do promotor Jefson Romaniuc, apresentou uma nova denúncia contra o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira (PSDB). A ação aponta para o cometimento de atos de improbidade administrativa e é resultado de uma investigação que durou dois anos e revelou o suposto uso indevido de carros pipas para abastecer a residência do prefeito, familiares e amigos, segundo o MPPE.

O assunto veio à tona em novembro de 2016 quando o vereador Ernesto Maia (PT) apresentou na tribuna na Câmara, fotos que evidenciariam os abastecimentos. Em dezembro do mesmo ano o Blog do Ney Lima publicou com exclusividade uma entrevista com Orlando Pedro, motorista do caminhão pipa que detalhou que o servidor público Teotônio Sobrinho indicava residências particulares para serem abastecidas, entre elas a do próprio prefeito Edson Vieira, dos pais dele e dos secretários Francisquinho e Roberto Soares. Já as investigações do Ministério Público tiveram início em agosto de 2017.

O que apurou o MPPE?

O Ministério Público ouviu o motorista do caminhão que detalhou no depoimento “com riquezas de detalhes” como se dava o fornecimento ilegal na residência do prefeito. Segundo o motorista, “o abastecimento de água na casa do Prefeito foi realizado por ele aproximadamente pelo período de três anos. Além disso, especificou que referido abastecimento ocorria tanto na casa do gestor como na de seu pai e amigos. Informou ainda que esses abastecimentos ocorriam cerca de uma vez por semana, havendo períodos em que era realizado duas vezes por semana”, conforme trecho da denúncia.

Já os depoimentos apresentados pelo proprietário do caminhão, que é irmão do motorista e pelo servidor público José Teotônio Sobrinho, que também foi ouvido, indicaram que após os caminhões abastecerem nos prédios públicos eles ficavam liberados para se dirigirem à casa dos clientes interessados. O Ministério Público encontrou contradição desses depoimentos considerando que os abastecimentos que foram filmados na casa do prefeito ocorreram nas primeiras horas do dia.

“Ora, se o abastecimento inicialmente realizado pelos pipeiros era com água fornecida pela COMPESA e para abastecimento em órgãos públicos, o flagra realizado na filmagem leva à conclusão lógica de que aquela água que abastecia a propriedade privada do gestor era, em verdade, destinada para prédios públicos! ”, diz o MPPE.

Relatórios da Compesa apontam que residência do prefeito chegou a ser abastecida até três vezes no mesmo mês. Conta não passava de R$ 43,00.

Durante as investigações o Ministério Público ouviu o gerente de Compesa que afirmou que a casa do prefeito Edson Vieira tinha direito a receber água de um caminhão pipa por mês, com 10 mil litros. Mas os relatórios enviados pelo órgão revelam que os abastecimentos na casa do prefeito ocorriam com intervalos irregulares, muitas vezes por meses sem abastecimento. No entanto, no mês de dezembro de 2017, após as denúncias se tornarem públicas, a residência foi abastecida três vezes.

“Impressiona, também, a rapidez no atendimento pela Compesa, que muitas vezes forneceu o caminhão-pipa no mesmo dia da sua solicitação pelo gestor. Será que todo consumidor de água neste Município de Santa Cruz do Capibaribe tem sua solicitação tão prontamente atendidas? É abastecido de forma tão célere quanto o réu? Por fim, percebe-se uma dissonância entre o consumo atestado pela própria Companhia Pernambucana de Saneamento, através do fornecimento de carros pipa e as faturas das contas de água do ano de 2016 do atual Prefeito, também colacionadas aos autos por esse órgão. ” Diz o promotor na denúncia.

MPPE pede a suspensão dos direitos políticos e devolução de recursos

Na ação apresentada nesta sexta-feira (06), o Ministério Público pede que o prefeito Edson Vieira seja condenado por atos de improbidade administrativa com a perca dos direitos políticos e ressarcimentos aos cofres públicos.

O prefeito Edson Vieira ainda não foi oficializado sobre a ação. Em dezembro de 2016, após reportagem publicada neste blog o prefeito enviou nota considerando que o motorista do caminhão pipa trazia “informações mentirosas”.

Informações do Blog do Ney Lima
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: