Federação brasileira de gastroenterologia salienta importância da saúde digestiva e homenageia gastroenterologistas

No Dia Mundial da Saúde Digestiva, entidade chama a atenção para os números no País e a importância de profissionais da área.


No próximo dia 29 de maio é comemorado o Dia Mundial da Saúde Digestiva. O objetivo é orientar e mobilizar a população sobre a prevenção e diagnóstico precoce das doenças do aparelho digestivo. A data celebra ainda o dia do gastroenterologista.

"A saúde digestiva tem papel fundamental na saúde e bem estar do corpo humano, com importante impacto na função imunológica do organismo, na boa disposição física e mental e até no humor. A manutenção da saúde humana está intrinsecamente relacionada à saúde digestiva", afirma Joaquim Prado de Moraes- Filho, Diretor de Comunicação da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG).

Porém, os números indicam a necessidade de uma maior atenção para a saúde digestiva. Estima-se que aproximadamente 600 milhões de adultos em todo o mundo apresentam sobrepeso e obesidade e, no Brasil, um em cada cinco habitantes é obeso. A obesidade não é só o aumento muito grande do peso corporal: constitui um estado pré-inflamatório e importante fator de risco para hipertensão arterial, hipercolesterolemia e diabetes.

"Antes de escolher "o que comer", deve ser considerado o ato da ingestão alimentar em si. O ato da ingestão deve ter certo toque ritualístico porque, metaforicamente, é nesse momento que se está injetando combustível no tanque do carro para ser consumido na estrada. É muito importante comer devagar, em ambiente tranquilo, evitar líquidos gasosos durante a refeição", orienta o médico.

Joaquim Prado salienta ainda que a alimentação precisa ser variada, ou seja, incluir alimentos essenciais à manutenção da vida saudável. "Deve se compor por proteínas animais (carne, frango, peixe, ovos, leite, queijo etc.), proteínas vegetais (feijão, soja, ervilhas, lentilhas etc.), fibras e água. É preciso moderação na ingestão de gorduras, frituras e açúcares. É também essencial a atividade física".

Além da obesidade, outras enfermidades estão diretamente relacionadas a alimentação, como intolerância à lactose, doença celíaca e alergia alimentar, dentre outras. Aproximadamente um terço da população brasileira apresenta sintomas como dor abdominal, distensão, flatulência e diarreia após ingerirem o açúcar lactose, presente no leite e derivados.

Já a doença celíaca, ocorre em cerca de 1% da população e é uma enfermidade autoimune que pode se apresentar em pessoas geneticamente predispostas, sendo desencadeada pela ingestão de alimentos contendo glúten, como farinha de trigo, centeio e cevada.

Por fim, a alergia alimentar é a reação alérgica a determinados alimentos como amendoim, castanhas, frutos do mar, leite, entre outros. A causa da alergia alimentar está relacionada aos anticorpos IgE, caracterizados em exame após consulta médica. A prevalência desse tipo de alergia é de 2% a 3% em adultos.

"Diante de tantos exemplos, é fundamental que no Dia Mundial da Saúde Digestiva possamos reforçar a conscientização que cuidar da saúde digestiva é zelar pela vida. Também estendo minhas homenagens a todos os gastroenterologistas que devem ser valorizados como profissionais de fundamental importância para a saúde e o bem-estar das pessoas", encerra o Diretor de Comunicação da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), Joaquim Prado de Moraes-Filho.

Sobre a FBG 

A Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) é uma sociedade sem fins lucrativos, que promove e representa a especialidade no Brasil. Moderna e atuante, congrega 4.300 associados e participa, juntamente com 64 especialidades reconhecidas, do Conselho Científico da Associação Médica Brasileira (AMB). Fundada em 1949 para apoiar e desenvolver o conhecimento científico da especialidade no Brasil, a FBG representa 23 Federadas em todo o território nacional.
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: