Magalu

IBAMA realiza ações contra caçadores em Santa Cruz do Capibaribe e municípios vizinhos

Placa colocada em área monitorada entre os municípios de Santa Cruz e Taquaritinga. Foto: divulgação.
Equipes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA) vêm realizando ações nos municípios de Santa Cruz do Capibaribe, Taquaritinga do Norte, Jataúba, Brejo da Madre de Deus e em outros municípios da região do Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco com o intuito de coibir ações de caçadores e gaioleiros que atuam na região.


Nos últimos dias, integrantes do órgão estão fixando placas informativas em pontos estratégicos da região, informando que a caça é proibida de acordo com o artigo 29 da Lei 9.605/1998 que diz o seguinte:

"Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a Lei é crime com pena de detenção de seis meses a um ano, e multa".

De acordo com o órgão, a chegada de aves migratórias da espécie avoante Zenaida auriculata, popularmente conhecida como rebaçã, aumenta a ação de caçadores e por isso é preciso intensificar as ações de fiscalização. O IBAMA alerta que está fazendo o uso de tecnologia para monitorar as ações de caçadores e gaioleiros na região, no intuito de identificar e punir os mesmos. Em algumas áreas o órgão já utiliza imagens de satélites para monitorar a mata.

O IBAMA também lembra que a pandemia provocada pelo Coronavírus teve início através do consumo de carne de animais na China e alerta que é perigoso o contato próximo e consumo de animais, a exemplo do tatu, que pode transmitir micose pulmonar e, de acordo com pesquisas, os tatus também são hospedeiros de bactérias, inclusive a transmissora da hanseníase, doença também conhecida como Lepra. O tatu ainda é reservatório da Doença de Chagas e de outras verminoses.

Ação do IBAMA em Santa Cruz do Capibaribe contra a criação de aves em gaiolas.
Ação do IBAMA em Santa Cruz do Capibaribe contra  criação de aves em gaiolas.

Postar um comentário

0 Comentários