O Adeus de Fernando Aragão...


Muitas foram as manifestações em virtude da morte de Fernando Aragão...

Ao longo do dia, frases e imagens de apoio e de saudade se espalharam por toda a região...

Mas o áudio que Fernando deixou para Fábio e a imagem de Simone que, sem cessar, com as mãos no carro que levava o corpo do pai, seguia o cortejo do início até o último adeus, foram os momentos mais dolorosos...

No áudio, publicado num programa de rádio, como se anunciasse o que estava por vir, Fernando "desejou deixar saudade"...

Sua voz estava firme, sem embargar, como um guerreiro que mesmo ao chão, não se entrega, mesmo diante da triste e inevitável realidade...

O veterano Fernando, com larga experiência na vida, que em alguns meses faria setenta anos, ciente de que seria entubado, deixou para o filho mais velho, o desejo nobre de ser lembrado, mas lembrado com saudade...

A filha seguiu sem parar, tocando o carro, sem poder tocar o corpo, não como quem se despede, mas como quem não solta, como quem não abandona...

Era como se ela dissesse a Fernando: "eu estou aqui, não vou lhe deixar, estou aqui, sempre ao seu lado"...

Não havia como não se sensibilizar, não havia...

Então uma reflexão profunda invadiu o campo da política: adversários políticos perceberam que a grandeza maior não está naqueles que vencem disputas, mas naqueles que não abandonam e que quando se vão deixam saudades...

Simone tocando aquele carro fúnebre sem cessar, sem desistir, nos mostrou que ele nunca a abandonaria e que ela nunca o abandonou...

E a "saudade" que ele desejava ser agora é muito maior do que muitos imaginavam!!!

Texto de Clécio Dias.

Postar um comentário

0 Comentários