Slide

10/recent/ticker-posts

Dia Internacional das Micros e Pequenas Empresas: especialista destaca pontos importantes para os que desejam ser MEI

No Brasil, de acordo com o boletim do 1º quadrimestre de 2024, realizado pelo Mapa de Empresas, o MEI é responsável por 56,5% dos negócios ativos.


Definida pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional das Micros e Pequenas Empresas (MEI), alusivo à data de 27 de junho, demonstra a importância do micro e pequeno empreendedor e dos pequenos negócios. No Brasil, de acordo com o Boletim do 1º quadrimestre de 2024, realizado pelo Mapa de Empresas, ligado ao Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, o MEI é responsável por 56,5% dos negócios ativos, sendo 1.091.205 aberturas de MEIs no primeiro quadrimestre de 2024, o que representa um aumento de 29,8% em comparação com o mesmo período de 2023.

Entre as cinco atividades mais exploradas por MEIs, informadas no Boletim, estão: promoção de vendas; preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo não especificados anteriormente, cabeleireiros, manicure e pedicure; comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios; transporte rodoviário de carga.

Por ter um processo de abertura mais simplificado, além de uma menor tributação, muitas pessoas optam por ser MEI, contudo, é importante ter atenção para alguns pontos antes de se tornar um pequeno empresário. Um deles está ligado aos desafios e dificuldades. “Uma das principais dificuldades é a gestão financeira, especialmente no início, quando os recursos podem ser limitados. Além disso, a concorrência acirrada, a busca por clientes e a manutenção de uma boa reputação são desafios constantes. É importante também lidar com a burocracia e as obrigações legais, como impostos e regulamentações trabalhistas”, explica o mestre em gestão empresarial e professor do Centro Universitário dos Guararapes (UNIFG), Rafael Coutinho.

Gerir uma empresa requer habilidades de liderança, organização e visão estratégica. “É essencial definir metas claras, desenvolver um plano de negócios sólido e acompanhar de perto as finanças. Além disso, é fundamental investir no desenvolvimento da equipe, cultivar um ambiente de trabalho positivo e buscar constantemente maneiras de inovar e se adaptar às mudanças do mercado. Ao se tornar um Microempreendedor Individual (MEI), é importante estar ciente das obrigações legais e regulatórias, como o pagamento mensal do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional), a entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI) e o cumprimento das normas específicas para o setor de atuação”, destaca o especialista.

Além disso, é necessário que os futuros micro e pequenos empresários fiquem atentos aos erros mais comuns, como não separar as finanças pessoais das empresariais, o que pode levar a problemas de caixa e dificuldades na gestão financeira. Já outro erro é não investir em marketing e na construção de uma marca forte, o que pode dificultar a atração de clientes. “Para evitar esses erros, é importante buscar orientação e capacitação, manter as finanças organizadas e investir na divulgação do negócio”, enfatiza Rafael.

Por fim, mas não menos importante, o mestre em gestão destaca tendências emergentes essenciais para quem quer ou já é MEI. “Algumas tendências emergentes para o MEI incluem a digitalização dos negócios, a prestação de serviços online, como consultoria e freelancing, e o foco na sustentabilidade e responsabilidade social. Além disso, a personalização e a experiência do cliente continuam sendo áreas-chave para se destacar no mercado. É importante estar atento a essas tendências e adaptar o negócio de acordo com as demandas do mercado e as necessidades dos clientes”.

Postar um comentário

0 Comentários