Neymar faz três e mantém São Paulo como freguês do Santos


O Santos manteve a tradição dos últimos anos de eliminar o São Paulo em mata-mata do Paulistão. Com show de Neymar, que marcou três gols e deu dribles espetaculares, o time de Muricy Ramalho se credenciou para a final do campeonato ao deixar o Morumbi com o placar de 3 a 1.

O primeiro tento de Neymar foi o 100º dele coma camisa do Santos e foi marcado logo aos 5 minutos do 1º tempo, após pênalti de Paulo Miranda. O segundo foi novamente dele em belo passe de Ganso. William José descontou e novamente o camisa 11 matou o jogo, com chute de fora da área e falha de Denis. Agora, o time da Vila Belmiro aguarda o resultado do dérbi de Campinas, marcado para as 18h30 deste domingo.

No primeiro ataque do Santos no jogo, Arouca lançou Alan Kardec, que já sofreu falta de Paulo Miranda dentro da área. O juiz Paulo César de Oliveira não titubeou e marcou o pênalti. Neymar deu sua tradicional corrida de lado antes de ir em direção à bola e colocou no ângulo direito de Denis para marcar o gol de número 100 com a camisa do Santos.

Aos 10 minutos, o zagueiro que já ganhava o status de vilão quase conseguiu amenizar a dor de cabeça são-paulina. Em escanteio batido pela esquerda, ele subiu mais alto que a zaga do adversário e colocou no pé da trave esquerda de Rafael, que havia errado a saída. Quatro minutos depois, Jadson bateu falta de muito longe, aproveitou o gramado molhado por causa da chuva e complicou a vida do goleiro adversário, que deu rebote e, por pouco, não ajudou os donos da casa.

Só dava São Paulo. Aos 21 minutos, Casemiro recebeu passe de cabeça da linha de fundo e chutou de primeira. A bola cruzou toda a área e saiu assustando Rafael. Oito minutos depois, Cortez disparou pela esquerda, cruzou e fez William José dividir com o goleiro, que levou a melhor e ficou com a bola.

Aos 32 minutos, “a bola puniu”, como diria Muricy Ramalho. Depois de tanto perder gol em um verdadeiro massacre em cima do Santos, o São Paulo acabou sofrendo o segundo gol em contra-ataque. Rhodolfo afastou a bola mal, Ganso dominou e passou quase que de primeira para Neymar, que apostou e ganhou a corrida com Paulo Miranda. Ele saiu cara a cara com Denis e tocou na saída do goleiro para ampliar a vantagem, marcando o seu 101º gol.

Além dos dois gols, o camisa 11 santista ainda foi destaque aos 36 minutos. Ele pegou a bola e entortou Ivan Piris. O lateral direito paraguaio precisou ir e voltar pelo menos três vezes para lados diferentes até levantar o adversário e tomar o cartão amarelo. Ele ainda jogou a bola no santista.

No segundo tempo, Leão mudou o estilo de jogo do time. Colocou Fernandinho pela ponta no lugar de Jadson e ainda tirou Ivan Piris e escalou Rodrigo Caio para voltar a marcar Neymar. Aos 2 minutos, depois de tanto ver seu colega ir bem, Lucas resolveu imita-lo. Driblou dois adversários e deu belo chute de fora da área. A bola não entrou, mas animou a torcida são-paulina. Dois minutos depois, Paulo Miranda errou ao concluir de joelho uma cabeçada.

Aos cinco minutos, Alan Kardec respondeu pelo Santos com chute fraco, mas bem colocado. Denis se esticou e deu rebote nos pés de Neymar. Ele precisou dividir com a zaga e acertou o pé da trave direito de Denis. Aos 10 minutos, Rafael, que caiu diversas vezes sentindo dores no joelho direito, foi substituído por Aranha. Aos 12, logo após ver o rival ter seu terceiro gol anulado, o Santos tomou um grande susto. Lucas fez boa jogada pela direita e tocou para William José. Sozinho, o pivô girou e colocou a bola por cima do gol, fazendo o mais difícil na situação. 

Assim como no primeiro tempo, o São Paulo dominava as ações e até colocou bola na trave aos 16 minutos. Aos 18, depois de tanto martelar, os donos da casa finalmente conseguiram diminuir. William José recebeu passe dentro da área, teve calma para limpar a marcação e marcar o primeiro do seu time no jogo. O gol colocou fogo no Morumbi. Muito empurrado pela torcida, o São Paulo quase empatou aos 20, em bela batida de falta de Cícero, que não comemorou por causa de uma ótima defesa de Aranha.

O Santos conseguiu segurar os ânimos do São Paulo e passou a cozinhar o jogo, só atacando na segurança. Foi assim que, aos 30 minutos, Paulo Henrique Ganso carregou a bola pela intermediária e chutou de fora da área. Foi o sinal para Leão mexer no time. Ele tirou Casemiro e colocou Osvaldo, praticamente entregando seu time ao ataque. De nada adiantou. Pelo contrário. Neymar aproveitou a zaga aberta, deu chute de fora da área e ainda pôde comemorar por causa da falha de Denis. Antes do apito final, o jovem santista ainda conseguiu sofrer a falta de Cícero e causar a expulsão do adversário.

Os quase 50 mil que foram ao Morumbi para ver um jogo de futebol viram um show particular de Neymar.
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: