Servidores públicos estaduais fazem paralisação de advertência



Servidores públicos do estado cruzam os braços nesta quinta-feira


Os servidores públicos estaduais paralisam nesta quinta-feira (1º). Além da paralisação de advertência, o Fórum dos Servidores do Estado promove um ato público no cruzamento da Rua da Imperatriz com a Rua do Hospício, no centro do Recife, a partir das 9h.

Na pauta de reivindicações, reajuste salarial, vale transporte, aumento no vale alimentação e pagamento de dívidas com hospitais credenciados com sindicatos. Será realizada uma panfletagem e apresentações teatrais informando a população sobre os motivos da mobilização.

Até o momento, entidades como o Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Estado de Pernambuco (SINDSERPE), o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Seguridade Social no Estado de Pernambuco (SINDISAÚDE-PE) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE) já confirmaram participação na paralisação de advertência e no ato público. Contudo, outras categorias também estão se mobilizando para participar das atividades.

A paralisação ocorre no dia 1º, já que a partir deste dia faltam dois meses para a implantação das reivindicações negociadas entre o governo e as categorias. Para que sejam implantadas no dia 1º de janeiro (data base), as mudanças devem ser encaminhadas à Assembleia Legislativa de Pernambuco até metade do mês de novembro. Caso isso não ocorra, não há tempo hábil para que os projetos sejam votados na Alepe.

Os sindicatos enumeraram sete pontos para mobilização:

1º - Com o reajuste do salário mínimo em janeiro de 2013, passando dos atuais R$ 622 para R$ 670, parte dos servidores estaduais vai ganhar abaixo do salário base estipulado pelo governo federal. Atualmente, mais de 3 mil servidores ganham R$ 638;

2º - O Governo do Estado nega o direito ao vale transporte a uma grande parte dos servidores;

3º - Há mais de três anos, o governo Eduardo Campos mantém o mesmo o valor de R$ 7,00 para o vale alimentação do servidor;

4º - As diárias dos motoristas e outros servidores não cobrem as despesas das viagens a trabalho;

5º - O estado acumula dívidas com clínicas e hospitais credenciados ao Sassepe, prejudicando a saúde dos servidores;

6º - O governo acumula dívidas de trabalhos realizados pelos servidores acima de R$ 20 milhões de reais;

7º - Um dos objetivos do governo estadual tem sido o enfraquecimento do movimento sindical, através de medidas que interferem na organização de classe dos servidores. Isso mostra que o executivo estadual não tem interesse em negociar as reivindicações dos trabalhadores.

Do Blog do Jamildo
Anterior
Próxima

0 Comentários: