12 de julho de 2016

Após cinco anos de seca, previsões são que 2017 será um ano de muitas chuvas


Após um período de seca de cinco anos, Pernambuco deve ter um 2017 com chuvas. A informação foi divulgada nesta terça-feira (12) pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) durante reunião que aconteceu no Ministério Público em Caruaru, no Agreste. A mudança climática se deve ao fenômeno La Niña, segundo a Apac.

O diretor-presidente da Apac, Marcelo Asfora, disse que um dos principais fenômenos que interferem nas chuvas no Sertão é o El Niño. "A expectativa é que surja o fenômeno La Niña, que é o resfriamento das águas do [oceano] Pacífico. Então só o fato de não ter a interferência do El ñino, vai favorecer a condição de chuva do Sertão"

Asfora explicou em entrevista à TV Asa Branca que "o período chuvoso do Sertão começa a partir de setembro". Segundo ele, apesar da expectativa de chuvas, a seca não vai terminar de forma imediata. "Leva um tempo para os reservatórios e a economia local se recuperarem, mas sem dúvida [a chuva] é uma boa notícia", explicou o diretor-presidente da Apac.

Na reunião, o secretário executivo de Recursos Hídricos do Estado, José Almir Cirilo, afirmou que duas iniciativas entrarão em prática até o início de 2017 para conter a crise hídrica. Uma barragem e uma adutora estão sendo construídas na Mata Sul - a de Serro Azul, em Palmares, e a do Pirangi, em Catende.

"Infelizmente, o canal que virá de Sertânia até Arcoverde ainda vai ter as obras iniciadas no final do ano. Por isso que tivemos que trabalhar essas duas soluções antecipadas para resolver o problema de água no Agreste", explicou José Almir Cirilo. Segundo ele, a barragem e a adutora em construção têm capacidade para fornecer 500 litros de água por segundo.

Blog Merece Destaque com informações do G1 Caruaru e Região
Foto - Almir Neves / Arquivo

Um comentário:

AddToAny

Traduzir / Translate