24 de maio de 2018

Saiba como estão alguns serviços essenciais em Pernambuco durante o protesto dos caminhoneiros

Carros da PM e do governo de PE fizeram fila para abastecer nesta quinta (24) no Recife. Foto Elvys Lopes/TV Globo.
O desabastecimento de combustível por conta do protesto dos caminhoneiros contra o aumento do preço do diesel provocou o cancelamento de voos no Aeroporto Internacional do Recife e a suspensão da produção do Polo Automotivo Jeep, em Goiana, na Região Metropolitana. O 4º dia da greve dos caminhoneiros também diminuiu a circulação de ônibus no Grande Recife, aumentou os preços de alimentos no Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa), na capital, e resultou no fechamento de postos por falta de combustível.


No Recife, dez voos da Azul Linhas Aéreas foram cancelados nesta quinta (24). Por meio de nota, a companhia aérea informou que oferece a remarcação de bilhetes sem custo para clientes com voos programados até 31 de maio e que desejem optar por datas alternativas à sua programação. As remarcações podem ser feitas através da central de atendimento, nos números 4003-1118 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-887-1118 (demais localidades).

Também por conta da mobilização nacional dos caminhoneiros, o Polo Automotivo Jeep suspendeu a produção a partir desta quinta (24). É a primeira vez que a fábrica, inaugurada em abril de 2015, tem a produção suspensa. No local, são produzidos três modelos de veículo: Renegade, Toro e Compass.

Por meio de nota, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) informou que a suspensão da produção ocorreu “devido à irregularidade dos fluxos logísticos decorrentes do bloqueio de parte da malha rodoviária local”. No texto, a empresa também afirmou que “permanece avaliando a evolução da situação”.

Decisão liminar

A Justiça determinou, nesta quinta (24), que caminhoneiros suspendam o protesto que obstrui a avenida de acesso ao Porto de Suape, em Ipojuca, no Grande Recife. A decisão liminar foi assinada pela juíza Nahiane Ramalho de Mattos, que acatou uma ação do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros de Pernambuco.

Caso os caminhoneiros não acatem a decisão, a categoria estaria sujeita a uma multa de R$ 100 mil, segundo a juíza. Ela também autorizou o uso da força para a retirada dos motoristas e a remoção dos veículos, assim como o uso de ligação direta dos veículos e reboque para o acostamento ou para estacionamento público ou privado às custas do proprietário ou responsável pelo veículo.

Segundo a decisão judicial, quem se negar a deixar a rodovia de acesso a Suape deve ser levado para a delegacia, para lavrar boletim de ocorrência pelo crime de desobediência ou outro delito. Na justificativa, a juíza afirmou que os condutores de transporte de passageiros estão impedidos de exercer suas atividades e utilizar as vias públicas.

De acordo com a magistrada, o protesto tem comprometido a segurança dos cidadãos, com inúmeros prejuízos, a exemplo de limitação da circulação de pessoas e bens, de desabastecimento de combustível e bens de consumo, de caos no trânsito e na aviação.

Botijões de gás

Todos os botijões de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha, que atendem o estado estão no Porto de Suape, no Grande Recife, impedidos de serem distribuídos e em 100% de sua capacidade de armazenagem. Nenhum produto foi retirado do porto desde a segunda-feira (21), segundo o porto. Segundo a presidente do Sindicato dos Revendedores de GLP de Pernambuco, Francine Gulde, o desabastecimento chegou a impactar as revendedoras no estado.

"Todas as 1.600 revendedoras de botijões de gás domiciliar, a nível estadual, estão sem abastecimento desde a segunda-feira. A maioria está sem estoque, porque ninguém pode entrar em Suape para retirar", disse Francine.


Na manhã desta quinta (24), a maioria dos postos de combustíveis espalhados pelo estado fecharam por falta tanto de álcool, quanto de gasolina. Nos que ainda tinha combustível houve registro de longas filas. Em outros, o preço do litro da gasolina chegou a até R$ 8,99.

Nesta quinta, a Secretaria de Justiça mandou baixar o valor do combustível em postos do Grande Recife, sob alegação de práticas abusivas na determinação do valor. Dois postos tiveram o preço reajustado para R$ 4,59.


A falta de combustíveis afeta o transporte escolar e fez com que vários municípios pernambucanos suspendessem as aulas a partir desta quinta-feira (24). Universidades no grande Recife também tiveram aulas suspensas.

Alimentos

A Associação Pernambucana de Supermercados (Apes) informou que o setor de hortifrúti está sentindo os reflexos no abastecimento de alimentos perecíveis. Segundo o órgão, os supermercados estão abastecidos para até o final desta semana e só deve perceber algum reflexo a partir da próxima semana.

Serviço policial

A Polícia Militar informou que, mesmo com a crise na distribuição de combustível, não houve redução no policiamento ostensivo motorizado. Em nota, a corporação disse que, caso haja uma demora na resolução do problema, “já foi traçado um plano logístico alternativo para o abastecimento das viaturas, de maneira a assegurar a presença nas ruas de nossos policiais”.

Carros da Polícia Militar e do governo de PE fazem fila para abastecer em posto na Avenida Abdias de Carvalho, no Recife, nesta quinta (24) (Foto: Elvys Lopes/TV Globo)

Serviço de saúde como o Samu estão funcionando normalmente. Também foi montado um plano de emergência para não restringir a frota. A Secretaria Estadual de Saúde informou que está monitorando, permanentemente, os estoques de combustíveis das ambulâncias que atuam nas unidades da rede estadual, bem como para alimentar os geradores. Segundo o órgão, até o momento, não foram registrados prejuízos para os usuários do Sistema Único de Saúde em unidades de saúde estaduais.

A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho também suspendeu alguns dos serviços de saúde. Segundo a gestão, serviços de transporte para pacientes que precisam de consulta, fisioterapia e exames serão remarcados. Já serviços de resgate e ambulâncias, hemodiálise, radioterapia e quimioterapia estão mantidos.

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) também foi afetada pelo protesto dos caminhoneiros. Por meio de nota, a empresa informou que está priorizando as atividades de urgência e regulatórias, para economizar combustível. O tempo de espera para atendimentos emergenciais também pode ser maior por conta dos bloqueios nas rodovias.

A empresa afirmou, ainda, que estão em negociação com os manifestantes para a liberação das equipes de plantão que estiverem atuando em casos de restabelecimento de energia.

Blog Merece Destaque
Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Traduzir / Translate