Pesquisar neste blog

23 de novembro de 2018

Artigo: O crescimento do e-commerce

Maurício Balassiano*
A crise levou o Brasil a um dos maiores índices de desemprego de sua história e, com a intenção de buscar uma saída, muitos partiram para a abertura de novos negócios. A Serasa Experian fez um estudo especial para mostrar a evolução do nascimento de Microempreendedores Individuais (MEIs) desde 2015 e os resultados mostraram que a atividade cresceu 38% considerando o primeiro semestre de 2018 em comparação ao mesmo período de 2015. O levantamento mostra o surgimento de 1.033.017 de MEIs no acumulado de janeiro a junho deste ano, enquanto no mesmo período de 2015 foram 748.371.

Muitos desses ex-desempregados, hoje, são lojas virtuais. Eles, assim como lojas físicas já estabelecidas, decidiram também atuar por meio da internet a aproveitar a onda. Como a Black Friday, que acontece no dia 23 e que certamente terá no e-commerce muito do seu movimento. De certo modo, esse universo do e-commerce experimenta grande crescimento e compõe muito do se convencionou chamar de transformação digital. Antes de ingressar numa atividade nesse formato, contudo, é preciso ficar atento às questões de segurança. Uma loja virtual precisa transmitir ao seu público a confiança de que a exposição dos dados não corre risco de vazamento.

Vender pela internet, de fato, pode ser algo bastante cômodo e que exige menos investimentos que um ponto físico, mas tornar o e-commerce um negócio operacional, funcional e seguro exige muito de agilidade e inovação. É preciso lembrar que as pessoas hoje buscam ganhar tempo, comodidade, não querem pegar filas, buscar vagas em estacionamentos, enfrentar o trânsito. Querem, porém, ter a certeza de que podem ver imagens fidedignas do produto, que os prazos de entrega serão cumpridos, assim como os de eventual devolução. Querem também que seus dados de cadastro sejam incluídos da forma mais simples e que estejam seguros e livres do ataque de hackers. Muitas vezes esses dados são captados e os golpes em termos de compras se dão apenas no momento seguinte e, muitas vezes, até em lojas físicas.

No sentido de facilitar a vida das pessoas em geral, em agosto a Serasa Experian lançou o Identific, que possibilita o login usando a identificação dos usuários (consumidores ou empresas) no ambiente digital por meio dos certificados digitais. E, o que é melhor, a ferramenta é totalmente gratuita para os dois lados e torna as operações mais seguras. Vale lembrar que os cybercriminosos fazem ataques de phishing, através do envio de emails, SMS e se valem de réplicas de sites de lojas conhecidas, tudo para enganar as pessoas e captar dados pessoais, informações do cartão de crédito e senhas, que podem inclusive serem usadas num momento seguinte.

Essas tentativas de fraudes de identidade acontecem tanto no ambiente online quanto off-line. Mapeamento da internet feito pela BigData Corp a nosso pedido em junho deste ano apontou que 40,10% dos sites do País não estão seguros, o que representa um total de 7,2 milhões de endereços. Estes sites não possuem o certificado de segurança (SSL – Secure Socket Layer), que promovem uma conexão segura utilizando a criptografia entre o servidor e os dados trafegados, o que evita o roubo de dados durante a transação.

*Maurício Balassiano é diretor de Certificação Digital da Serasa Experian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Traduzir / Translate