Chuvas no Grande Recife deixa ruas alagadas, suspende aulas e cancela voos


A chuva que atinge o Grande Recife desde a manhã do domingo (16) e continua nesta segunda (17) causa transtornos para a população, como vias alagadas e suspensão de aulas em escolas públicas e colégios particulares, além de provocar alterações ou cancelamentos de 19 voos. Em Olinda, um deslizamento de barreira atingiu uma casa onde mora uma família que saiu do local um dia antes.

Entre as vias da capital com alagamento, estão a Estrada dos Remédios, a Rua Imperial, a Rua 21 de Abril, a Avenida Sul, a Avenida Norte, a Avenida Doutor José Rufino, a Avenida Blumenau, a Avenida Cruz Cabugá, a Avenida Agamenon Magalhães, a Avenida Antônio de Góes, a Avenida Boa Viagem e a Avenida Domingos Ferreira. No bairro de Coqueiral, a água chegou perto de invadir as casas.

Também houve alagamentos em Olinda, como na Avenida Doutor José Augusto Moreira e na Avenida Antônio Costa Azevedo, e em Paulista, como na Rua João Pereira de Oliveira.

Em Camaragibe, uma escadaria foi parcialmente destruída por um deslizamento de terra ocorrido a cerca de 100 metros do local onde ocorreu, na quinta-feira (13), a tragédia que deixou sete mortos.

Aulas suspensas

Por causa da chuva, a Secretaria de Educação de Pernambuco cancelou as aulas da rede estadual de ensino nesta segunda-feira (17). As aulas na rede municipal de ensino também foram canceladas no Recife, em Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Igarassu, Camaragibe, Cabo de Santo Agostinho e em Vitória de Santo Antão. (Veja vídeo acima)

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), a Universidade de Pernambuco (UPE) e a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) decidiram manter as aulas em todos os turnos, nesta segunda-feira (17). No Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), as aulas foram suspensas no período da manhã.

Voos

A chuva também afetou a operação do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre, na Imbiribeira, na Zona Sul da cidade. Por causa do mau tempo, foram afetados 19 voos, sendo dois da Gol e 17 da Azul. A Azul informou que as alterações ocorrem, ainda, por limitações nos sistemas de pouso por interferência de rádios clandestinas nos arredores do aeroporto.

Ao todo, oito voos foram cancelados, sendo seis da Azul e dois da Gol. Os outros tiveram o destino alternado para outras cidades. Por meio de nota, a Gol informou que lamenta o ocorrido e que "está prestando toda assistência aos seus clientes e reacomodando-os em outros voos, conforme disponibilidade".

A Azul, também por meio de nota, afirma que "clientes impactados estão recebendo toda assistência necessária" e que eles "serão reacomodados em outros voos da empresa". Além de lamentar os casos, afirma que "medidas como essa são necessárias para conferir a segurança de suas operações".

Voos da Gol cancelados
G3 1828 (Recife -Fortaleza) - cancelado
G3 1841 (Fortaleza-Recife) - cancelado

Voos da Azul afetados
AD5374 (Fortaleza-Recife) - alternou para Maceió
AD2488 (Guarulhos-Recife) - alternou para Salvador
AD2950 (Rio de Janeiro/Galeão-Recife) - alternou para Maceió
AD5077 (João Pessoa-Recife) - alternou para Natal
AD5146 (Aracaju-Recife) - alternou para Maceió
AD6969 (Natal-Recife) - alternou para Natal
AD2949 (São Luis-Recife) - alternou para Maceió
AD4071 (Petrolina-Recife) - alternou para Fortaleza
AD4234 (Salvador-Recife) - alternou para Aracaju
AD6412 (Belém-Recife) - alternou para Natal
AD2996 (Teresina-Recife) - alternou para Maceió
AD4234 (Recife-Salvador) - cancelado
AD4484 (Recife-Campina Grande) - cancelado
AD4483 (Recife- João Pessoa) - cancelado
AD2644 (Recife-Maceió) - cancelado
AD6437 (Recife-Fernando de Noronha) - cancelado
AD4234 (Recife-Fortaleza) - cancelado

Queda de árvores

A Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) registrou 14 ocorrências envolvendo a queda parcial ou total de árvores no Recife, nesta segunda-feira (17), todas sem deixar vítimas. Nessas situações, a população pode ligar para o número 156.

Houve casos na Avenida Domingos Ferreira e nas ruas Heiji Gemba e Dona Magina Pontual, em Boa Viagem, Zona Sul da cidade. Árvores também caíram na Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, na Jaqueira, na Zona Norte; e na Avenida Maurício de Nassau, na Iputinga, na Zona Oeste.

Também houve quedas de árvores no Parque 13 de Maio e Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife; na Avenida Luiz Antônio de Araújo, no Sítio dos Pintos; Rua Padre Severino, no Vasco da Gama; na 1ª Travessa Garanhuns, no Jordão Alto; na Rua Custódia, em Coqueiral; na Rua Cruzeiro do Forte, no Canal do Cavouco e na Avenida Rio Verde, na Cohab.

Em Goiana, no Grande Recife, uma árvore caiu na Praça do Cruzeiro Nossa Senhora do Carmo, mas ninguém ficou ferido. A árvore tombou, ficou encalhada em outra árvore e danificou as grades de proteção da praça. De acordo com a prefeitura, a limpeza da área foi feita algumas horas após o ocorrido.

Segundo a prefeitura de Goiana, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros foram na praça para fazer a poda e viram que a raiz da árvore estava podre. A prefeitura diz, ainda, que uma equipe da Secretaria de Serviços Públicos deve fazer uma levantamento para reforma da grade na terça (18).

Monitoramento

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu um alerta para chuvas moderadas e ocasionalmente fortes na região e na Zona da Mata. Segundo a Apac, Jaboatão dos Guararapes foi o município com maior quantidade de chuva, acumulando 125,64 milímetros em 24 horas, desde a manhã do domingo (16). Em seguida, o Recife acumulou 112,80 milímetros no mesmo período.

A probabilidade de que essa chuva seja semelhante a que atingiu a Região Metropolitana do Recife na quinta-feira (13) é pequena, segundo o meteorologista da Apac, Roni Guedes. "Dessa vez, a intensidade da chuva é menor, embora mantenha uma constância desde o dia anterior", explica.

Ainda de acordo com ele, os moradores de áreas de risco precisam ter atenção redobrada. "As áreas estão muito úmidas e, por isso, pode acontecer deslizamento", afirma. Na quinta-feira (13), sete pessoas morreram em um deslizamento de barreira em Camaragibe, no Grande Recife.

Orientações da Defesa Civil

O coronel Cássio Sinomar, secretário da Defesa Civil do Recife, diz que, desde sábado (15), mais de 31 mil pessoas receberam alerta sobre a probabilidade de chuvas e necessidade de mudança de lugar no período chuvoso.

"Mandamos o aviso por meio de mensagem de texto no celular e orientamos que procurem lugar na casa de um amigo, parente, vizinho ou solicite o abrigo da prefeitura", afirma.

A Defesa Civil do Recife mantém um plantão permanente e pode ser acionada pelo telefone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento é 24 horas.

Informações do G1 - Foto reprodução TV Globo
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: