Um em cada cinco brasileiros afirma dirigir usando o celular, informa pequisa do Ministério da Saúde

Foto: divulgação / Ministério da Saúde.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 19,5% da população das capitais brasileiras afirma que faz o uso do celular enquanto dirige. O percentual mostra que de cada cinco indivíduos, um comete esse ato que é um risco para acidentes de trânsito. A divulgação do dado inédito é do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018 que também aponta que as pessoas com idade entre 25 e 34 anos (25,1%) são as que mais assumem esse comportamento de risco.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os acidentes de trânsito são a primeira causa de morte entre os 15 e 29 anos, a segunda entre os 5 e 14 anos e a terceira dos 30 aos 44 anos. "Tão essencial quanto alertar sobre essas mortes é advertir sobre o impacto pessoal e social que acontece com os sobreviventes e suas famílias. Afinal, por ano, cerca de 600 mil pessoas ficam com sequelas permanentes, como dificuldade e até impossibilidade de se locomover e, consequentemente, de trabalhar, estudar, levar a vida, enfim. Junte a isso o longo tempo de recuperação do acidentado e o sofrimento e o prejuízo financeiro dele e de sua família por meses e até anos", explica Moisés Cohen, presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). O médico ortopedista Sandro Reginaldo, presidente da Comissão de Campanhas Públicas da SBOT, explica que os ortopedistas atendem a maioria das vítimas de traumas de trânsito, sendo muitos de alta complexidade o que onera bastante o custo da saúde pública e privada. 75% dos leitos de trauma dos hospitais públicos no país estão ocupados com vítimas do trânsito."

Fonte: Ministério da Saúde
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: