Chuva deixa mais de 500 famílias desalojadas na Zona da Mata sul de Pernambuco

Ruas e casas foram tomadas pela águana cidade de  Barreiros, neste domingo (21) - Foto: Defesa Civil/Divulgação.
A cidade de Barreiros, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, enfrenta transtornos causados pela chuva, neste domingo (21). Segundo o coordenador da Defesa Civil do município, Amaro Joaquim Galdino, o nível dos rios Una e Carimã subiu e, associado às chuvas, mais de 500 famílias ficaram desalojadas, ou seja, tiveram que sair temporariamente de casa. Não há registro de feridos.

“Está chovendo desde a sexta-feira (19), mas piorou de ontem [sábado] para hoje. Agora pela manhã, estiou um pouco. Ainda estamos avaliando como está a situação da zona rural”, disse Galdino ao G1.

Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), a chuva em Barreiros nas últimas 24 horas foi de 156,8 milímetros, até as 9h deste domingo. A média histórica para o município é de 329 milímetros para todo o mês de julho. O Rio Una subiu 3 metros acima do nível normal, segundo a Apac.

"Estamos monitorando 24 horas. Sabemos que, até terça-feira (23), pode chover mais. Então, estamos de prontidão e orientado que os moradores saiam de áreas que podem ser alagadas", apontou Galdino, na parte da tarde deste domingo.

A Apac informou, ainda, que a tendência é de que não chova na parte da tarde, mas que há previsão de voltar durante a madrugada.

O bairro dos Lotes, que é cortado pelo Rio Carimã, foi o mais atingido. Galdino aponta que ele subiu mais de 5 metros e cobriu a ponte, que é o principal acesso ao bairro. Cerca de 240 famílias tiveram as casas invadidas pela água na localidade.

“A prefeitura está disponibilizando nove caminhões para auxiliar a população que precisar. Estamos trabalhando sem parar desde a madrugada. É a terceira vez neste ano que vemos uma situação dessas”, disse o coordenador da Defesa Civil.

Rua tomada pela água em Barreiros, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, neste domingo (21) - Foto: Defesa Civil de Barreiros/Divulgação.
Apesar de a água ter invadido casas na cidade, os postos de saúde e o hospital da cidade não foram afetados, segundo Galdino. Alguns moradores, mesmo com as residências alagadas, optaram por não sair.

A Defesa Civil aponta que, com a água baixando, as pessoas vão retornando às residências. "As famílias ficaram em casas de vizinhos e de parentes, ou locais próximos, esperando a água baixar. Não tivemos deslizamento de barreiras, apenas as casas alagadas", apontou Galdino.

Os bairros atingidos pelas chuvas, computados pela Defesa Civil de Barreiros, foram:

  • Itaperibu – 18 famílias
  • Lotes – 240 famílias
  • Tibiri – 12 famílias
  • Santa Gorete – 180 famílias
  • Prainha de Cima – 41 famílias
  • Centro - 68 famílias

A Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) informou que está monitorando a situação, mas que não há registro de mortes. A população pode acionar a Codecipe através dos telefones 199 ou (81) 3181.2490.

Uma equipe da Codecipe foi à cidade. "O nosso trabalho é suplementar ao que os municípios têm feito. A coordenadoria municipal fez o levantamento das famílias atingidas. Foram aproximadamente 518 famílias desalojadas aqui", afirmou o capitão Héctor Santana, da Codecipe.

Santana lembrou que o fato de a cidade ser cortada por rios contribui para casos como o deste domingo, de dezenas de desalojados. "A grande dificuldade dessa região é o posicionamento dos municípios. O grande trabalho do município e do estado é, inicialmente, orientar as questões de auto-salvamento da população, para que se evite danos humanos", apontou Santana.

Outras cidades

Também há famílias desalojadas no município de Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco. De acordo com a Apac, o monitoramento da central de operações sobre as chuvas da Zona da Mata Sul indicou elevação dos rios no município e a Comissão Municipal de Defesa Civil precisou retirar 42 famílias de regiões ribeirinhas, orientando essas pessoas a aguardarem nas casas de parentes e amigos.

Em São José da Coroa Grande, também no Litoral Sul, foram identificados pontos de alagamentos apenas na Várzea do Una. Em Sirinhaém, o telhado de uma usina desabou durante a madrugada. Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil do município, o local já estava em obras e, devido às chuvas, a situação se agravou.

No município de Amaraji, na Zona da Mata Sul, foram registrados pequenos deslizamentos e quedas de árvore na PE-071 e PE-063. Não houve nenhuma vítima. Também foi registrada uma queda de árvore no município de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR), mas sem danos.

Blog Merece Destaque com informações do G1 PE
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: