No Dia do Adolescente, Instituto de Olhos do Recife alerta para medidas que podem evitar problemas de visão nos jovens


Neste sábado (21), comemora-se o Dia do Adolescente. Para marcar a data, o Instituto de Olhos do Recife (IOR) realiza campanha de alerta para os cuidados com os olhos de quem está nessa etapa da vida. Segundo Kátia Dantas Duarte, oftalmopediatra do IOR, até os 21 anos, os olhos ainda estão em processo de desenvolvimento. Por isso, é importante prevenir doenças oculares e tomar certas precauções. “Nessa idade, é necessário evitar o excesso da luz azul de computadores, tablets, celulares e similares, usando-os moderadamente. O adolescente deve alternar o uso desses dispositivos com momentos de pausa, para descansar a visão”, explica.

A médica alerta que os jovens que usam de forma exagerada aparelhos eletrônicos têm mais risco de ter problemas com a visão, a exemplo da Astenopia, também conhecida como desconforto ocular. “O paciente pode sentir dor ao redor dos olhos, ardência e coceira nas pálpebras. Além disso, o cansaço ocular devido ao esforço contínuo dos músculos dos olhos pode evoluir para fadiga ocular e cefaleias. Olhos vermelhos e lacrimejamento também são comuns. Por isso, o uso controlado e o descanso a cada hora, durante 10 minutos, é recomendado”, orienta Kátia.

Os pais também devem ficar atentos às queixas dos filhos, como dores de cabeça constantes, sensação de peso nas pálpebras e olhos secos. “Se esses sintomas aparecerem, o ideal é levar o adolescente ao oftalmologista”, diz a doutora. Outro sinal de que a saúde ocular não está bem são dificuldades de enxergar o quadro na sala de aula. “Na última década, tem havido um aumento considerável de casos de miopia ou a não estabilidade do grau devido ao uso excessivo da visão de perto”, comenta Kátia. Atividades ao ar livre são sempre recomendadas.

INTERVALOS - A postura também pode estar relacionada a problemas na visão na adolescência. Nessa etapa, as demandas escolares tendem a aumentar e exigem maior leitura e concentração. “Geralmente piscamos menos quando estamos lendo ou escrevendo no computador. Isso pode causar sensação de olho seco. Nesses casos, o jovem deve relatar isso no consultório oftalmológico para ser receitado com o colírio adequado. Os intervalos durante o estudo também são indispensáveis para minimizar os desconfortos”, explica a oftalmopediatra.

Jovens com histórico de doenças oculares na família devem manter um acompanhamento oftalmológico regular. “Nessa fase da vida, os adolescentes precisam se consultar pelo menos uma vez por ano. Assim, o oftalmologista pode acompanhar o crescimento dos olhos e verificar se eles estão se desenvolvendo normalmente e sem patologias”, indica a médica.
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: