Cresce o número de míopes no Brasil, hábitos de crianças e adolescentes explicam epidemia

Estudo divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que que ao final de 2020, 35% da população brasileira será míope.


Os olhos, também conhecidos como “janelas da alma”, funcionam como câmeras fotográficas que captam as imagens e as enviam para o nosso cérebro, onde a visão é processada. Para que isso ocorra, é necessário que exista luz. Entretanto, existem problemas de visão que também podem comprometer a formação da imagem. Esse é o caso da miopia, terceira maior causa de cegueira em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Conhecida como uma “alteração refracional”, a doença não só compromete a visão para objetos distantes, como também aumenta o risco de descolamento de retina.

Dados fornecidos pela OMS sugerem que ao final de 2020, 35% da população usará óculos para correção da miopia. A preocupação em relação ao aumento significativo dos casos tem tomado grandes proporções na comunidade científica. Estudos recentes apontam para uma influência do estilo de vida. A especialista Camila Ventura, Oftalmologista do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE), alerta para os riscos da doença.

“É provado cientificamente que o uso de aparelhos eletrônicos por longas horas e poucas atividades em ambientes abertos estimulam o crescimento ocular, que leva à miopia” acrescenta Camila. É importante esclarecer que um quando o olho cresce acima do normal, as imagens passam a se formar antes da retina (tecido nobre do olho responsável por captar os estímulos luminosos) e por isso a visão fica embaçada.

Este processo de “miopização” da população tem afetado crianças e adolescentes, e por isso a preocupação com os pequenos.

“O tratamento mais difundido para pacientes diagnosticados com miopia consiste no uso de óculos ou lentes de contato. Porém, estudos recentes vem testando medicamentos como a atropina para tentar estacionar a progressão da doença”, explica Camila Ventura. “A recomendação é que toda criança e adolescente faça o exame oftalmológico completo pelo menos uma vez por ano para detectar e tratar precocemente a doença.”

A boa notícia é que, com exceção dos casos de hereditariedade genética, a miopia é evitável. A melhor solução aponta para o incentivo de atividades em ambientes externos, além do uso regulado de eletrônicos. “O ideal é fazer uso de eletrônicos como celular, tablet, computador ou até mesmo televisão com moderação e a cada uma ou duas horas descansar a visão olhando para o horizonte bem como fechar os olhos por alguns minutos”, a oftalmologista Camila Ventura finaliza.
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: