Guia do coronavírus para idosos: Cuidados a serem incorporados pelo grupo de maior risco

Manter a saúde em dia, cuidar das crianças, evitar utensílios compartilhados e mais dicas para a terceira idade.


Com o crescente número de brasileiros com o novo coronavírus, cuidado com o risco maior que a doença representa para idosos e pessoas com problemas crônicos de saúde.

Estudo do Centro de Controle de Doença (CDC) da China mostra que 2,4% dos pacientes morreram em razão da COVID-19. Quando considerados pacientes de 70 a 79 anos, porém, a taxa de letalidade sobe para 8%, e entre os pacientes com mais de 80 anos, 14,8% dos casos resultaram em morte.

Abandone o lenço de pano

Prefira lenços de papel descartáveis para assoar e cubra o nariz com o braço ao espirrar. Após um espirro, o vírus pode ficar horas no pano. Caso o lenço vá para o bolso, contaminará as mãos depois. Prefira os de papel descartáveis e cubra nariz e boca com o braço ao tossir ou espirrar.

Cada um com seu copinho

Não compartilhe utensílios, como copos e talheres. O copinho coletivo do filtro ou da moringa deve ser aposentado. Evite compartilhar outros utensílios, como talheres, pratos ou garrafas. 

Use menos o ar-condicionado e deixe a casa mais aberta para ventilar naturalmente.

Atenção com as crianças

Ensine as crianças a lavar as mãos ao chegar em casa. As crianças podem trazer vírus da rua ou da escola. Cuidado importante é lembrá-las de lavar bem as mãos ao chegar.

Longe das aglomerações

Não é preciso ficar confinado em casa, mas é melhor evitar aglomerações e contato com pessoas doentes.

Saúde em dia

Verifique se as doenças crônicas estão sob controle. Adquira medicação para 2 meses de tratamento. 
Faça atividade física, alimente-se bem e beba muita água. Mantenha as visitas ao médico atualizadas para garantir que eventuais doenças, como diabetes, problemas cardíacos ou respiratórios, estejam controlados e não haja anemia ou desidratação.

Fique (bem) informado

Informe-se por meio de veículos de comunicação sérios ou com seu médico. Cuidado com as fake news: há muita informação falsa circulando pela internet. Não confie em tudo que chega pelo Whatsapp ou Facebook, mesmo que seja de amigo ou familiar. 

Dr. Sebastião Inácio Filho é procedente do Recife, onde trabalhou no Hospital da Restauração, Hospital Agamenon Magalhães, Central de Transplantes, Hospital das Clínicas, na Clínica de Dor do HARF (onde por 9 anos trabalhou como Chefe do Ambulatório de Acupuntura e Medicina Chinesa), dentre outros. Ele é médico Geriatra e Clínico Geral. Contato: 81 99854-7030.

Postar um comentário

0 Comentários