Empresas do Polo de Confecções de Pernambuco doam mais de 20 mil máscaras de proteção ao IMIP

Os 37 empresários doadores fazem parte do projeto “Máscaras para Todos”, uma iniciativa do Governo de Pernambuco para ajudar o setor neste momento de pandemia.

Chris Fiusa, coordenadora de Projetos do NTCPE, e Ana Cláudia F. S. Meirelles,da Assessoria Especial do IMIP - Fundação Alice Figueira. Crédito das fotos: Marlon Diego/SDEC.

O Polo de Confecções de Pernambuco atingiu a marca de 6 milhões de máscaras de proteção vendidas. E como forma de agradecimento à sociedade pernambucana pelo apoio recebido neste momento de pandemia da Covid-19, 37 empresários do local doaram mais de 20 mil máscaras ao Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), para que sejam repassadas aos acompanhantes de pacientes que estão no local. A entrega aconteceu nesta sexta-feira (26), na sede do hospital, no bairro dos Coelhos, no Recife.

Os produtos estão sendo fabricados graças ao projeto “Máscaras para Todos”, que é uma iniciativa do Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, para ajudar o setor neste momento de pandemia. Desde o início de abril, o Poder Público Estadual vem colocando em prática um plano de ação para fortalecer o setor, fornecendo linha de crédito e apoio técnico para que as micro e pequenas empresas produzam máscaras e outros equipamentos de proteção às pessoas.

O próprio Governo de Pernambuco já adquiriu, através da AD Diper, um lote de 1 milhão de máscaras de tecido do Polo de Confecções. Também foram adquiridas 200 mil unidades de protetores faciais para abastecer os servidores que continuam trabalhando em contato com o público. Vale destacar que as máscaras de tecido não são indicadas para os profissionais da saúde.

“A iniciativa de doar máscaras ao IMIP partiu dos próprios empresários do polo. Desde o início da pandemia, eles sempre demonstraram o interesse de retribuir, de alguma forma, a confiança depositada neste momento tão difícil em que todos nós estamos passando. Além disso, está sendo uma clara demonstração de união desses empresários em prol de uma causa nobre. Coube ao Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções (NTCPE) definir o local para a doação e fazer toda a articulação entre os envolvidos. O IMIP sugeriu a quantidade de 10 mil máscaras, e as empresas conseguiram dobrar esta meta”, comemora o presidente do NTCPE, Wamberto Barbosa.

Vale a pena lembrar que, desde o início de maio deste ano, está sendo possível adquirir, no site do “Máscaras para Todos” (www.mascarasparatodos.org.br), pacotes de cinco, dez, 50 ou 100 máscaras brancas e lisas, e pagar com cartão de crédito, débito ou boleto bancário. As entregas dos pedidos aprovados até as 13h estão sendo realizadas por serviço de motoboy no mesmo dia, em no máximo três horas, no caso dos endereços localizados na cidade do Recife. Para os demais municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), ocorrem dentro de cinco horas. Compras realizadas no site depois das 13h têm as entregas realizadas no dia seguinte. Já para o interior do Estado e para o restante do país, o cronograma de entrega está sendo determinado pela plataforma dos Correios.

Na hora da compra, é feito o cálculo no site para definir o frete da entrega, que se baseia no CEP do comprador. Nos pacotes de 50 e 100 máscaras, o valor do frete já estará incluso no valor do produto. O centro de distribuição que foi articulado com a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) fica na própria sede do NTCPE, no Bairro do Recife (Rua da Moeda, nº 46). O horário de atendimento é de 9h às 16h, e os pedidos serão despachados a partir das 13h.

Máscaras personalizadas também estão sendo comercializadas. Para ter acesso ao serviço é preciso entrar no site do “Máscaras para Todos” e clicar no slide das máscaras personalizadas. Lá, através do WhatsApp, será feita a negociação sobre a quantidade de máscaras (o número mínimo é 500), e se as peças serão bordadas ou se será utilizada a serigrafia. Neste último caso, poderão ser utilizadas até quatro cores em cada produto.

Segundo Wamberto Barbosa, não existe um preço fixo para se fechar as encomendas. “Cada caso é um caso. Vai depender da quantidade de tinta e das formas escolhidas pelo cliente. Tudo será devidamente acertado no próprio site”, garante, acrescentando: “Antes, só estávamos produzindo o produto todo branco e liso, pois é mais fácil na hora de higienizá-lo com água sanitária. Mas acho que essa nova demanda também chegou para ficar.”

Cerca de 130 micros e pequenas empresas que adquiriram o selo emitido pelo NTCPE, para atestar a padronização e a qualidade do produto, são fornecedoras. Juntas, elas respondem por mais de 2 mil empregos diretos na região. O projeto foi viabilizado com recursos da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) e integra mais uma ação do plano anunciado pelo governo estadual, no início da pandemia provocada pelo coronavírus, para apoiar as empresas do Polo de Confecções (saiba mais em https://cutt.ly/zylJUjX).

“Esse período difícil está mostrando a dinâmica do empresariado pernambucano. Todos nós estamos tendo que nos adaptar. E por isso vamos sair dessa bem mais fortalecidos”, acredita Barbosa.

O NTCPE é uma organização social contratada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco para executar as políticas públicas desenhadas para o setor de têxteis e confecções. Por conta da pandemia, o Núcleo tem disponibilizado às empresas, gratuitamente, cadernos técnicos que ensinam como fabricar máscaras e outros equipamentos de proteção contra o novo coronavírus, a exemplo de batas e protetores para os pés. Os manuais estão disponíveis no site www.ntcpe.org.br e descrevem com detalhes as modelagens e insumos necessários para a fabricação de cada produto.

Além dessas empresas que conquistaram o selo de conformidade para fabricar máscaras, outras 15 estão produzindo batas cirúrgicas. A capacidade de produção destas unidades fabris ultrapassa as 20 milhões de peças por mês, somente no que diz respeito aos protetores faciais. Importante destacar que o Polo de Confecções, capitaneado pelos municípios de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama, movimenta quase R$ 6 bilhões em negócios por ano e ocupa 250 mil trabalhadores em todo o Estado.

Informações da assessoria

Postar um comentário

0 Comentários