Bafômetro exige teste e rigor

Ipem-PE é órgão responsável pela verificação dos instrumentos.


Principal dispositivo da Lei Seca para diminuir acidentes por embriaguez, o etilômetro (popularmente chamado de bafômetro) exige certificação técnica periódica para garantir resultados confiáveis. O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco é, no Estado, o órgão delegado do Inmetro, responsável, dentre outras atividades, pela verificação metrológica desses instrumentos utilizados na fiscalização de trânsito.

Antes de serem comercializados, os fabricantes ou importadores precisam submeter os etilômetros a uma verificação inicial para garantir que os instrumentos meçam corretamente a concentração de álcool encontrada no ar expirado. De janeiro até o momento foram realizadas 240 verificações pelos técnicos do instituto.

“A verificação metrológica nos bafômetros constata, por meio de ensaios no laboratório do Ipem se o instrumento mantém a reprodução de valores de acordo com as tolerâncias pré-estabelecidas pelo Inmetro. A confiabilidade desses instrumentos é de grande importância, pois colabora para o processo educativo que resulta na cultura de segurança, assumindo o papel de elemento coibidor de acidentes no trânsito”, afirma Adriano Martins, Presidente do Ipem-PE.

Os ensaios consistem em injetar nos etilômetros três diferentes concentrações de misturas líquidas de etanol em água, além de injeção de ar sintético para verificação do ponto zero. O sistema simula o sopro de um indivíduo e é acionado por uma válvula ligada a um pedal que libera o fluxo de ar a ser medido pelo etilômetro. O primeiro teste é feito apenas com ar sintético, sem álcool. Em seguida são realizados ensaios com três concentrações diferentes de etanol em água.

No caso de aprovação do instrumento, o Ipem-PE emite certificado e laudo de exame metrológico e o aparelho é identificado mediante uma etiqueta de verificação afixada em lugar visível ao usuário. A verificação tem validade de um ano.

Findo esse prazo, o instrumento precisa ser submetido à nova verificação metrológica, denominada verificação subseqüente, a qual deve ser repetida anualmente ou sempre ou que tiver sofrido algum reparo.

Informação ao cidadão

É direito do cidadão saber se o aparelho está verificado pelo Ipem-PE ou por demais órgãos delegados do Inmetro. Assim como outros instrumentos de medição regulamentados pelo Inmetro, os etilômetros verificados recebem uma marca holográfica com o ano da validade. O mês e o dia de validade estão previstos em um certificado de verificação.

Postar um comentário

0 Comentários