Professores de Santa Cruz do Capibaribe estão recebendo abaixo do piso nacional e exigem respeito


Em um vídeo divulgado nas redes sociais, professores da Rede Municipal de Ensino de Santa Cruz do Capibaribe cobram do prefeito Edson Vieira o reajuste dos salários da categoria que deveria ter acontecido desde o mês de janeiro e até agora não aconteceu e com isso os professores estão recebendo abaixo do piso nacional da categoria.

Os professores reclamam ainda que no ano de 2019 tiveram um prejuízo, perdendo seis meses, já que o reajuste só foi feito em julho e em 2020 a gestão ainda não reajustou os salários, mas o Ministério da Educação repassa os recursos com reajuste desde janeiro.

Veja a seguir, a nota do Sinduprom em que vários professores e professoras relatam a situação e pedem respeito e bom senso por parte da gestão do prefeito Edson Vieira:

NOTA DO SINDUPROM:

Nós somos professores/as. Só queremos respeito. O que nos é de direito. Estamos em Setembro, e ainda não recebemos reajuste salarial de 2020.

Desde 2008, o salário dos professores e professoras é determinado pela lei do piso nacional. Em Santa Cruz do Capibaribe não é diferente. No início de cada ano o governo federal determina o valor do reajuste e envia os recursos para estados e municípios.

É direito nosso! O prefeito pede bom senso. Nós temos.

Ano passado o reajuste foi feito em julho. Perdemos 6 meses com a promessa de que não haveria atrasos. Mas houve.

Agora o prefeito bota a culpa na pandemia. Mas o recurso chegou em Janeiro, a pandemia chegou em Março. O prefeito diz que Santa Cruz não é uma ilha, mas a lei é nacional e municípios vizinhos ao nosso fizeram o reajuste em Janeiro. Por que para nós é diferente?

Agora somos nós que pedimos. Tenham bom senso! Santa Cruz não é uma ilha! O reajuste é lei! Só queremos o que é nosso!

Postar um comentário

0 Comentários