Magalu

Concessão de parques: mais 26 parques serão administrados pela iniciativa privada e especialistas reforçam a importância da conservação

Pesquisadores da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) alertam que é preciso atenção para que os objetivos de gestão e os princípios legais do direito sejam cumpridos.

Parque Dois Irmãos, em Pernambuco/Reprodução.

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fechou contratos com seis estados para dar suporte na concessão de 26 parques naturais, que passarão a ser administrados pela iniciativa privada. São eles: Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Tocantins.

Algumas das unidades de conservação administradas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) que estão nos destaques são parques como Jalapão (TO), Dois Irmãos (PE), Ibitipoca e Rio Doce (ambos em MG).

“O país está tratando com muito desprezo seus parques nacionais. A população não está preparada para reagir defendendo o que de melhor o país e a população têm e que estão em uma instituição fraca em competência e recursos financeiros. Uma grande pena”, acredita a Maria Tereza Jorge Pádua, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) e ex-presidente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA).

Sobre a Rede de Especialistas

A Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) reúne cerca de 80 profissionais de todas as regiões do Brasil e alguns do exterior que trazem ao trabalho que desenvolvem a importância da conservação da natureza e da proteção da biodiversidade. São juristas, urbanistas, biólogos, engenheiros, ambientalistas, cientistas, professores universitários – de referência nacional e internacional – que se voluntariaram para serem porta-vozes da natureza, dando entrevistas, trazendo novas perspectivas, gerando conteúdo e enriquecendo informações de reportagens das mais diversas editorias. Criada em 2014, a Rede é uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Os pronunciamentos e artigos dos membros da Rede refletem exclusivamente a opinião dos respectivos autores. Acesse o Guia de Fontes em www.fundacaogrupoboticario.org.br

Postar um comentário

0 Comentários