Slide

10/recent/ticker-posts

Passeio guiado bilíngue para pessoas com deficiência acontece nesta quarta-feira (29)

O passeio acessível promovido pelo projeto Visões Sonoras da Cidade, iniciativa que audiodescreve seis paisagens da área central do Recife, é gratuito e inicia às 15h, no Marco Zero.

Foto: Icaro Benjamin.

Como parte do projeto Visões Sonoras da Cidade, iniciativa que visa descrever descreve paisagens do Recife, a Com Acessibilidade Comunicacional, empresa que coordena e executa projetos de acessibilidade comunicacional e comanda a execução dessa iniciativa, promove um passeio guiado bilíngue (português - Libras)gratuito para até 50 pessoas com deficiência. A atividade é gratuita e acontece na quarta-feira, dia 29 de maio, a partir das 15h, com início no Marco Zero, no bairro do Recife.

O passeio vai percorrer por alguns dos pontos do patrimônio artístico e arquitetônico que fazem parte da primeira Região Político Administrativa do Recife (RPA1) de paisagens selecionadas pelo projeto Visões Sonoras da Cidade. Com início no Marco Zero, a ação segue até a Rua do Bom Jesus e a Torre de Malakoff, vai até o Teatro de Santa Isabel e a Praça da República , finalizando na Rua da Aurora.

A atividade tem o apoio do Ministério da Cultura, através da Lei Paulo Gustavo, e da Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura do Recife, além da parceria da Secretaria de Turismo. Todo o percurso será mediado por especialistas em Libras e em audiodescrição, profissionais de apoio e um guia turístico, que vai abordar as informações históricas das paisagens que compõem o passeio guiado.

"A expectativa é que tenhamos um passeio acessível comunicacionalmente, realizando a mediação das paisagens por meio da audiodescrição e a tradução das informações para Libras. Podemos dizer que seria um modelo de visita acessível. Vamos usar aparelhos de transmissão e recepção para as pessoas com deficiência visual aprimorar a recepção do conteúdo e levar a história e a beleza da nossa cidade para quem não têm acesso", explica a diretora executiva da Com Acessibilidade Comunicacional, Liliana Tavares.

Postar um comentário

0 Comentários