Admilson Gomes Admilson Gomes Author
Title: JOIAS DA NOSSA FAUNA - MARRECA TOICINHO
Author: Admilson Gomes
Rating 5 of 5 Des:
Ah, se esse Rio Capibaribe não fosse tão maltratado. Já avistei inúmeras espécies nas margens do Rio onde ainda se encontram alguma poça de ...
Ah, se esse Rio Capibaribe não fosse tão maltratado. Já avistei inúmeras espécies nas margens do Rio onde ainda se encontram alguma poça de água. Esse Rio tão importante, que deu nome à cidade de Santa Cruz do Capibaribe, infelizmente está agonizando. Não bastasse a seca que diminui seu volume, o pouco que resta ainda é poluído pelo homem.

Dentre as inúmeras espécies que já avistei no rio, hoje falarei da Marreca toicinho, uma ave muito bonita e colorida.
Era manha de 22/05/2016. Eu e o parceiro Éder Neves tínhamos ido visitar a reserva de Serra dos Cavalos em Caruaru, uma mata bonita e bem preservada, mas as trilhas tem muito movimento de pessoas e isso termina que dificultando o avistamento de pássaros. Chegamos lá logo cedinho, onde ficamos toda a manhã. Perto das 12:00 resolvemos voltar para casa. A fome já chamava e o sol estava escaldante. Nessa hora é uma das mais difíceis de avistar aves pois elas se recolhem devido ao forte calor.Paramos para almoçar e seguimos nossa viajem de volta para casa.

Como todo bom passarinheiro, não existe viajem perdida para nós. Ao passarmos pela cidade de Toritama, sugeri ao colega que fossemos por uma trilha que eu conheço, às margens do Capibaribe. Já passavam das 14:00 e eu estava com um sono danado (aquela preguiça que dá depois do almoço).
Resolvemos seguir a trilha. Uns 15 km de estrada de terra com muito cascalho, mas muito agradável. Foi nossa alegria. Em 1 hora de trilha vimos mais aves do que a manhã inteira na Serra dos Cavalos.



Ficamos surpresos com a quantidade de espécies que avistamos num trecho do rio com um volume razoável de água. Paramos e ficamos contemplando o local, conversando sobre a quantidade que o local poderia abrigar se estivesse com seu nível normal de água.
Íamos andando e parando. Descíamos do carro a cada nova poça d'água encontrada a fim de investigar o movimento das aves.

Muitas garças, socó-boi, socozinho, caminheiro-zumbidor, martim-pescador, pernilongo-de-costas-negras, canários, etc...etc... Uma imensidão de pássaros. De encher os olhos de quem aprecia a natureza livre e selvagem.

Mais adiante encontramos um grande bando de irerê. Paramos novamente para contemplar as belas aves. No meio delas, encontrei outras diferentes, que eu não sabia de qual espécie se tratava. Tratei de registrar nas diversas posições que fossem possíveis. Notei nessa ave um colorido diferente do irerê, que já era velho conhecido nosso das margens de açudes da região.

Mais tarde, chegando em casa foi que consegui identificar a espécie pela internet.

Foi mais uma surpresa agradável que tivemos ao margear o nosso querido Rio Capibaribe.

A resenha da vez ficou por conta de populares que nos confundiam com agentes do IBAMA e sempre nos paravam para denunciar alguém que estaria caçando ou criando aves em cativeiro.
Infelizmente o IBAMA parece não dar muita importância para nossa região, pois são muitos os casos de poluição, desmatamento e caça predatória que escutamos em toda a região.







Admilson Gomes

Anuncie Aqui

Postar um comentário

Ao enviar um comentário, aguarde até que nossa equipe o analise e o publique. Isso é necessário para evitarmos que comentários impróprios sejam mostrados. Comentários com agressões, palavrões ou qualquer tipo de ofensas não são aceitos.

 
Topo