Programação Carnaval 2009, Congo PB

Programação Carnaval 2009, Congo PB
SÁBADO 21-02
- MANHÃ-TARDE NO RABO DO PAVÃO
Som & Banho (GRÁTIS)

- NOITE NO CONGO
Banda Kerozene Elétrico
Orquestra Santa Ana

DOMINGO 22-02
- MANHÃ-TARDE NO RABO DO PAVÃO
Banda Imagem Elétrico
Banda Red Bull

- NOITE NO CONGO
Som & Banho (GRÁTIS)

SEGUNDA 23-02
- MANHÃ-TARDE NO RABO DO PAVÃO
Banda Kerozene Elétrico
Banda SURPRESA

- NOITE NO CONGO
Som & Banho (GRÁTIS)

TERÇA 24-02
- MANHÃ-TARDE NO RABO DO PAVÃO
HD Elétrico
Banda Perfil Elétrico

- NOITE NO CONGO
Banda Kerozene Elétrico
Orquestra Santa Ana

Reuna a familia e curta o MELHOR CARNAVAL do cariri paraibano.

Pernambuco e Paraiba, Progresso à vista!


Nesta Terça-feira 10/02/2009, uma comitiva de políticos de santa Cruz do Capibaribe Agreste de Pernambuco, foi até as cidades do Congo e Sumé no estado da Paraíba, onde foram recepcionados por autoridades daquele estado. O secretário de infra-estrutura Assis Quintans, o superintendente do DER Inácio Bento, além de lideranças políticas de várias cidades Paraibanas, o ex-prefeito do Congo Zequinha, o ex-prefeito de Sumé Vavá, o ex-vice prefeito de Sumé João Pereira e outros. Da cidade de Santa Cruz foram, O presidente da câmara de vereadores Fernando Aragão, os vereadores Deomedes Brito e Ernesto Maia, além do Ex-prefeito José Augusto Maia.

O secretário Quintans destacou a luta dos políticos de Santa Cruz pela construção do asfalto que liga os dois estados:

“Lembro que José Augusto veio até a Paraíba em 2005, quando na época ele era prefeito e já lutava junto com seus correligionários para esse sonho tornar-se realidade”. Afirmou Quintans.

O governo da Paraíba vai investir 11 milhões de Reais e estipulou o prazo de 14 meses para a conclusão da obra de Sumé até a cidade do Congo, depois seguirá até a divisa com Pernambuco, de onde o governador Eduardo Campos deverá tocar a obra até o município de Jataúba ligando assim os dois estados.

fonte: blog patrulha do agreste.

Caruaru construirá moda center para sulanqueiros

Caruaru construirá moda center para sulanqueiros
DO JC ONLINE

Sofrendo com graves problemas estruturais – que vão desde a insegurança à falta de higiene –, a tradicional Feira da Sulanca de Caruaru vive um momento decisivo. Esta semana, a Prefeitura da cidade dá início a conversas diretas com os sulanqueiros para vender o projeto de transferência da feira para uma área organizada, assim como ocorreu em Santa Cruz do Capibaribe, onde os comerciantes encontram-se hoje instalados no Moda Center, que servirá de modelo para o projeto caruaruense, segundo afirmou o secretário de Gestão de Serviços Públicos de Caruaru, José Carlos Menezes.

A expectativa é que serão necessários R$ 130 milhões para a criação de um espaço semelhante na cidade. A Prefeitura cederia o terreno, cuja área não foi definida, mas que precisa ter 50 hectares e estar localizado no entroncamento das BRs 104 e 232, assim como a primeira feira da sulanca. Já os sulanqueiros bancariam a construção do centro de forma parcelada. Dessa maneira, a gestão ficaria à cargo dos comerciantes e não do poder público. O local teria toda uma estrutura para abrigar cerca de 15 mil vendedores, contando com dormitórios, boxes e espaço amplo para receber os tradicionais bancos de feira.



Afora as deficiências de infraestrutura, outra preocupação tem assombrado os gestores municipais. Com a duplicação da BR-104, prestes a receber a sua ordem de serviço, há o temor de os sulanqueiros perderem espaço para os comerciantes de Santa Cruz e Toritama. Por isso a pressa para, até o meio do ano, convencer os feirantes da viabilidade do projeto. “Se deixar para depois, a Sulanca pode se acabar. Temos que acompanhar o cronograma de obras da duplicação e estarmos com o local pronto em até dois anos e meio”, alertou o secretário.

Estão agendados para os próximos dias reuniões com a antiga diretoria do Moda Center Santa Cruz e o recebimento do orçamento de um censo da Sulanca, onde serão quantificados os feirantes naturais da cidade.

Desde o começo da década de 90, a Sulanca funciona no Parque 18 de Maio, ocupando uma área de 10 hectares. “O problema é que quando houve a mudança da feira para esse local esperava-se abrigar até 4,5 mil bancos. Hoje são 20 mil, com cerca de 40 mil pessoas, em média, trafegando pela feira toda semana. São compradores que veem do Pará, no Norte, e de toda região compreendida entre o Maranhão e a Bahia, no Nordeste”, resume Menezes. Nas palavras do secretário, os sulanqueiros hoje são “grandes heróis”, pois vivem em um quadro desumano, chegando a dormir embaixo de seus bancos, por exemplo.

Após a mudança de endereço da Sulanca, o Parque 18 de Maio teria papel importante na oxigenação do comércio da cidade, passando por um processo de revitalização. Os 35% de comerciantes que não são considerados sulanqueiros (artesãos, vendedores de outras confecções, calçados e alimentos), mas que hoje vendem seus produtos no local, permaneceriam lá. Além disso, o Parque receberia áreas de lazer, um espaço voltado para a gastronomia regional e um estacionamento para ônibus.

Polícia prende bode acusado de tentar roubar carro na Nigéria


Seguranças afirmaram à polícia que bandido se transformou no animal.
Em algumas partes da Nigéria, muitas pessoas acreditam em feitiçaria.







A polícia nigeriana prendeu um bode após seguranças alegarem que um bandido que estava em fuga havia se transformado no animal depois de tentar roubar um carro Mazda, de acordo com a emissora britânica "Sky News".

Segundo o porta-voz da polícia no estado de Kwara, Tunde Mohammed, os vigilantes relataram aos policiais que, enquanto estavam fazendo uma patrulha, eles viram duas pessoas tentando roubar um veículo.

De acordo com Mohammed, os seguranças contaram ainda que "perseguiram os criminosos, mas um deles escapou enquanto o outro se transformou em um bode".



Apesar da história surreal, o animal ficou detido na delegacia. "Não podemos confirmar a história, mas o bode está sob nossa custódia", afirmou Mohammed.

Em algumas partes da Nigéria, nação mais populosa da África, muitas pessoas acreditam em feitiçaria.

Do G1, em São Paulo