Poema "O anjo do Capibaribe" homenageia o Programa Capivara



O Anjo do Capibaribe
                  (Roberto Celestino)

Ao olhar pro velho rio
Eu ficava preocupado
Vendo-o ser tão maltratado
Dava-me até arrepio
Lutava ele com brio
Tentando sobreviver
Quase a esmorecer
Por socorro ele clamava
Mas ninguém o escutava
O rio estava a morrer

Sem força, enfraquecido
O Capibaribe gemia
Era grande a agonia
Que o haviam submetido
Mas antes do último gemido
Viu ele uma esperança
Retomou a confiança
Algo iria mudar
A ajuda iria chegar
Com a tão sonhada mudança

O que ele não sabia
E confesso que eu também
É que o velho rio tem
Um anjo em sua companhia
Anjo que eu não conhecia
Mas está sempre ao seu lado
E com empenho tem trabalhado
Para o revitalizar
E que só vai sossegar
Ao vê-lo como no passado

Esse Anjo é um Programa
De Capivara é chamado
Dispensa ao rio um cuidado
Que só vê-se em quem ama
No seu peito se inflama
A vontade de buscar
Soluções para tirar
O Rio desta situação
Só assim seu coração
Em paz poderá ficar

Com esse anjo ao seu lado
Já começa a sentir
Que logo no por vir
Seu destino será mudado
Estará belo e transformado
Enchendo a vista de quem passa
Livrando-se da desgraça
Que o rondava noite e dia
Levando a alegria
No percurso que ele traça

Fico também sossegado
Com O Programa Capivara
Que ao rio sempre ampara
Dispensando seu cuidado
Eu fiquei lisonjeado
Em poder vos conhecer
E bem de perto ver
O trabalho e a grandeza
Que com excelsa nobreza
Estais a desenvolver.

Taquaritinga do Norte,29 de julho de 2012
Anterior
Próxima

Blogueiro, editor do blog Merece Destaque, apaixonado por comunicação e por fotografia, Almir Neves gosta de inovar e aceitar novos desafios.

0 Comentários: