Magalu

Qual a diferença entre a dermatite de contato e a atópica?

Bijuterias são as que mais desencadeiam dermatite de contato em mulheres. Cerca de 20% das crianças e 3% dos adultos são afetados pela dermatite atópica.


Existem dois tipos de dermatite de contato: irritativa (80% dos casos) e alérgica. A dermatite de contato ocorre quando há o contato com alguma substância que desencadeia a inflamação (dermatite) na pele. A mais frequente em mulheres é a dermatite de contato alérgica devido ao uso das bijuterias, que são produzidas com sulfato de níquel e cloreto de cobalto.

Produtos de cuidados pessoais como sabonetes, xampus, desodorantes, cremes, produtos químicos capilares, ente eles a tintura de cabelo, são outros causadores de dermatite de contato alérgica. No caso da irritativa temos o exemplo de reação por detergentes e produtos de limpeza causando a reação nas mãos.

O especialista da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), Dr. Octavio Grecco, conta que esse tipo de alergia também é frequente em algumas profissões, como a de pedreiro, por exemplo, já que ele é exposto diariamente ao cimento, outro agente desencadeante.

Os sintomas da dermatite de contato não são imediatos, podendo ocorrer depois de algumas horas ou até alguns dias, e são caracterizados por reações como vermelhidão, prurido e às vezes formações de vesículas (bolinhas com água) onde ocorreu o contato com o objeto causador da reação.

“Raramente ocorrem reações em vários locais do corpo e, neste caso, chamamos de dermatite de contato sistêmica, que nesse caso representa uma doença mais difícil de tratar. É importante procurar um especialista para obter o diagnóstico correto e o tratamento adequado, pois no caso de ser dermatite de contato alérgica pode tornar-se uma reação crônica”, explica Dr. Grecco.

Dermatite atópica – Cerca de 20% das crianças e 3% dos adultos são afetados pela dermatite atópica, doença que tem origem genética e é considerada crônica. As principais características são pele seca e coceira intensa, que muitas vezes resultam em feridas. É mais comum na infância e cerca de 60% dos casos ocorrem no primeiro ano de vida.

No bebê as lesões predominam na face (bochechas), pescoço, couro cabeludo e, ocasionalmente, no resto do corpo. Em crianças maiores, adolescentes e adultos a dermatite de contato atinge as dobras dos braços e pernas, face (em pálpebras) e pescoço.

A doença assume forma leve em 80% das crianças acometidas e em 70% dos casos há melhora gradual até o final da infância.

A doença se caracteriza por um processo inflamatório da pele com períodos alternados de melhora e piora. Os intervalos podem ser de meses ou anos entre uma crise e outra, mas alguns pacientes mantêm a doença crônica contínua. Não é contagiosa e está associada à asma e rinite.

Além de ter um fator hereditário, que determina a secura da pele, a dermatite atópica pode ter vários desencadeantes como alimentos, aeroalérgenos (ácaros, fungos, epitélio de animais), perfumes e suor. Os aspectos emocionais desempenham um importante papel, tanto funcionando como fator desencadeante como agravante, evoluindo para a auto-reclusão dos pacientes.

Postar um comentário

0 Comentários